09:27 10 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    443
    Nos siga no

    Os mesmos assassinos do miliciano Adriano da Nóbrega queriam matar Fabrício Queiroz, acredita o ex-advogado de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) Frederick Wassef.

    De acordo com o jornal O Globo, Wassef está inquieto e tem afirmado a interlocutores que não irá sair de cena e que segue como advogado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com quem afirma ter contato. 

    "Não dá pra negar uma história que está registrada com tantas fotos e filmes. Fora aqueles que eu tenho comigo e que ninguém nem sonha e nem imagina. Está tudo guardado a sete chaves e mesmo se a bandidagem do Rio quiser fazer busca e apreensão não vai encontrar nada", afirma Wassef a interlocutores.

    Após a prisão de Queiroz em propriedade de Wassef em Atibaia, interior de São Paulo, o advogado deixou a defesa de Flávio Bolsonaro e se afastou da família presidencial. Em publicação anunciando a saída de seu então advogado, Flávio afirmou que a "lealdade e a competência" de Wassef "são ímpares e insubstituíveis".

    O Globo também afirma que Wassef pretende falar em entrevista à televisão sobre o assassinato de Adriano da Nóbrega: "Vou explodir todo mundo em rede nacional ao vivo. Poderosos políticos do Rio mandaram assassinar o Adriano. Tenho provas. Os mesmos caras que executaram o Adriano iriam executar o Fabrício Queiroz", diz o advogado. 

    Mais:

    Fabrício Queiroz negocia delação premiada com MP, diz CNN Brasil
    Em depoimento à PF, Queiroz diz que desconhece vazamento de investigação para Flávio Bolsonaro
    Mulher de Queiroz reclama de advogado de Bolsonaro e questiona: 'Vão matar?', diz jornal
    Queiroz presta depoimento e não nega vazamento de operação da PF
    Esposa de Queiroz tinha caderno com telefones de Jair, Flávio e Michelle Bolsonaro
    Tags:
    crime, advogado, Rio de Janeiro, Jair Bolsonaro
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar