03:23 30 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Brasil
    URL curta
    0 45
    Nos siga no

    Portando uma faca, um homem invadiu nesta quarta-feira (10) a sede do jornalismo da Globo, no Rio de Janeiro, e fez a repórter Marina Araújo como refém. 

    A situação durou cerca de 30 minutos e ninguém ficou ferido. Segundo a emissora, o homem, que foi preso, tinha distúrbios psicológicos e o crime não teve conotação política, como chegou a ser comentado em redes sociais. 

    O indivíduo, ainda não identificado, invadiu a sede do jornalismo da Globo, no bairro do Jardim Botânico, pulando as catracas da entrada. Em seguida, tomou Marina Araújo como refém. Ele exigia falar com a apresentadora Renata Vasconcellos, de quem seria fã. Ela completa 48 anos nesta quarta-feira (10). 

    Após o homem entrar no local, os seguranças da emissora isolaram a área e chamaram a polícia. A negociação com invasor foi feita pelo comandante do 23° batalhão da Polícia Militar, coronel Heitor Henrique Pereira. O homem liberou a repórter após alguns minutos e se entregou. 

    ​"A Globo repudia com veemência todo tipo de violência. Foi obra de alguém com distúrbios mentais, sem nenhuma conotação política. Um homem que exigia ver a jornalista Renata Vasconcellos. Seguindo instruções do comandante Heitor, Renata compareceu ao local onde estava Marina e o invasor. Tão logo ele a viu, largou a faca e libertou Marina. Foi preso imediatamente", informou a emissora por meio de nota, segundo o portal UOL. 

    Segundo testemunhas, o homem queria aparecer ao vivo na programação da Globo. Os funcionários colocaram uma câmera fingindo que ele estava ao vivo, mas o sinal só estava sendo transmitido internamente.

    Mais:

    Apresentador da TV Globo é flagrado fazendo comentário racista
    Rede Globo pagou propina à FIFA para ter direitos de TV, diz ex-executivo argentino
    Cai helicóptero da TV Globo em Recife
    Tags:
    Rio de Janeiro, crime, apresentadora, repórter, emissora, sequestro, TV Globo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar