14:41 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Eduardo Bolsonaro ao lado de Steve Bannon em Nova York

    'Lula é um dos políticos mais cínicos e corruptos no mundo', afirma ex-assessor de Trump

    © Foto / Divulgação / Twitter Eduardo Bolsonaro
    Brasil
    URL curta
    464046
    Nos siga no

    O ex-estrategista e assessor do presidente estadunidense Donald Trump, Steve Bannon, criticou a soltura do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em uma entrevista, classificando-o como "um dos políticos mais cínicos e corruptos do mundo".

    Em entrevista concedida à BBC Brasil, Bannon avaliou que a saída de Lula da prisão, após a mudança de entendimento acerca das prisões depois de condenações em segunda instância no país, vai significar "a volta da corrupção".

    "Acho que Lula é um dos políticos e indivíduos mais cínicos e corruptos no mundo. [O ex-presidente dos EUA Barack] Obama se referiu a esse cara como 'o cara' [...]. Lula é o esquerdista o mais celebrado da história do mundo. O que eu chamo reino do terror financeiro e da corrupção… Foi Lula que fez essa roda girar em conchavo com um bando de políticos corruptos brasileiros", comentou.

    Apoiador do atual presidente brasileiro Jair Bolsonaro (PSL) e com proximidade com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do mandatário, Bannon pontuou ainda que a presença de Lula fora da cadeia "vai causar uma enorme perturbação política no Brasil".

    Por outro lado, continuou Bannon na mesma entrevista, o governo Bolsonaro pode acabar fortalecido por conta do antipetismo presente no Brasil. "Acho que os seguidores dele [Bolsonaro] verão a importância de continuar empurrando a agenda dele com um senso extra de urgência", acrescentou.

    Donald Trump é observado por Stephen Bannon, 31 de janeiro de 2017
    © AP Photo / Evan Vucci
    Donald Trump é observado por Stephen Bannon, 31 de janeiro de 2017

    Longe da Casa Branca desde o primeiro ano do governo Trump, Bannon é visto como o principal articulador de um movimento internacional de direita, que tem Bolsonaro, o ex-ministro do Interior da Itália, Matteo Salvini, o premiê húngaro Viktor Orban, entre outros, como seus principais expoentes.

    Na opinião do ex-assessor do presidente norte-americano, a "figura trágica" – como ele também se refere a Lula – deveria estar presa, pois tentará "impedir tudo o que Bolsonaro está tentando fazer". Além das reformas e do combate a corrupção, Bannon deu a entender que a soltura de Lula estaria colocando a soberania brasileira em risco.

    "Agora que está livre, Lula vai virar um imã para a esquerda global se intrometer na política brasileira. Ele é o 'poster boy da esquerda globalista'. Entre todos no mundo, ele é o maior ídolo, agora que Obama está fora da política. E até Obama se referiu a ele. Com Lula, toda a corrupção antiga vai voltar", sentenciou.

    Recentemente, Bannon cancelou uma viagem que faria ao Brasil, concentrando-se em uma campanha interna de defesa de Trump contra o processo de impeachment que está em andamento no Congresso dos EUA.

    Mais:

    Elite latino-americana não aceita ascensão dos pobres, diz Lula em mensagem ao Grupo Puebla
    Lula discursa para multidão, chama Moro de canalha e apresenta pauta contra governo de Bolsonaro
    Bolsonaro reúne cúpula militar para discutir Lula, diz site
    Tags:
    direita conservadora, extrema-direita, direita, esquerda, Barack Obama, Donald Trump, política, corrupção, Eduardo Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Luiz Inácio Lula da Silva, Steve Bannon, Estados Unidos, Brasil
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar