Candidato à presidência do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), chega para votrar no Rio de Janeiro, em 7 de outubro de 2018

Ex-assessor de Trump anuncia apoio formal a Bolsonaro: 'Um grande líder'

© AP Photo / Leo Correa
Eleições 2018
URL curta
191621

O ex-assessor de Donald Trump na Casa Branca, Steve Bannon, anunciou nesta sexta-feira o seu endosso formal ao presidenciável brasileiro Jair Bolsonaro (PSL), de direita, em um esforço para ajudar o ex-capitão do Exército nas eleições deste domingo.

"O capitão Bolsonaro é um patriota brasileiro e acredito que seja um grande líder para seu país neste momento histórico", disse Bannon em texto enviado à Agência Reuters.

Em agosto deste ano, o filho de Bolsonaro, Eduardo, esteve reunido com Bannon em Nova York (EUA). Em um tweet, o filho do presidenciável do PSL afirmou que "[Bannon] disse ser um entusiasta da campanha de Bolsonaro" e "estamos certamente em contato para unir forças, especialmente contra o marxismo cultural".

"O movimento populista é um fenômeno global", continuou Bannon. "A tendência é definitivamente a nosso favor e é por isso que penso que o Bolsonaro vai ganhar bem".

Recentemente, ao falar da sua atuação internacional ao articular o populismo de direita com um grupo intitulado O Movimento, Bannon destacou o avanço de ideias compartilhadas por ele no Brasil, mencionando o sucesso de Bolsonaro nas intenções de voto.

Embora Jair Bolsonaro não tenha confirmado qualquer participação efetiva de Bannon em sua campanha (Bannon negou qualquer participação), o presidenciável brasileiro já disse em diversas oportunidades admirar o governo do presidente estadunidense Donald Trump, do qual Bannon foi parte durante os primeiros sete meses, deixando o posto de assessor após desentendimentos com o líder dos EUA.

Bannon pontuou ainda que viu semelhanças entre as forças políticas e econômicas que elevaram Bolsonaro e que levaram seu ex-chefe ao poder.

"Ele é uma figura como Trump", declarou Bannon sobre Bolsonaro, que obteve 56% das intenções de voto na pesquisa do Datafolha divulgada na quinta-feira, em comparação com os 44% do adversário, o petista Fernando Haddad.

Foi a crise financeira de 2008 que "acendeu o estopim que explodiu com a candidatura de Donald Trump e sua presidência", comentou Bannon na mesma entrevista. "O Brasil está passando por esse tipo de crise agora".

Mais:

Antigo bastião petista, Nordeste vem mostrando apoio a Bolsonaro
Defesa e política externa: especialistas comparam projetos de Haddad e Bolsonaro
Liberação de armas pode ser aprovada na Câmara antes mesmo de Bolsonaro ser eleito
Tags:
conservadorismo, direita, extrema direita, política, Eleições 2018, Breibart, O Movimento, Partido Social Liberal (PSL), Steve Bannon, Eduardo Bolsonaro, Jair Bolsonaro, Donald Trump, Estados Unidos, Brasil
Padrões da comunidadeDiscussão
Comentar no FacebookComentar na Sputnik