20:09 16 Setembro 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    6252
    Nos siga no

    A China fornecerá urgentemente alimentação, suprimentos de inverno, vacinas e medicamentos no total de 200 milhões de yuan (US$ 31 milhões ou R$ 161 milhões), segundo informou nesta quarta-feira (8) o chanceler chinês, Wang Yi.

    "De acordo com as necessidades do povo afegão, a China tomou a decisão de fornecer urgentemente alimentação, suprimentos de inverno, vacinas e medicamentos no total de 200 milhões de yuan", disse Wang, citado no comunicado publicado no site da chancelaria chinesa.

    As declarações foram feitas após Wang Yi participar de uma videoconferência com as chancelarias dos países vizinhos do Afeganistão, incluindo Paquistão, Irã, Tajiquistão, Uzbequistão e Turcomenistão.

    Após as condições adequadas de segurança serem criadas, a China está disposta a ajudar o Afeganistão na realização de projetos para melhorar a vida do povo. Além disso, Pequim está pronta, no melhor de sua capacidade, para apoiar a recuperação pacífica e desenvolvimento econômico do Afeganistão.

    Comentando o novo governo afegão, Wang disse que a China atribui grande importância ao anúncio da administração do Afeganistão, sublinhando que é um passo necessário para a reconstrução do país. O chanceler afirmou que a China "está disposta a comunicar com o novo governo afegão".

    Os EUA e seus aliados devem fornecer ajuda econômica e humanitária ao Afeganistão mais do que os outros, dado que com a retirada de seus militares sua responsabilidade não acabou, disse o ministro das Relações Exteriores da China.

    Wang considerou os EUA e seus parceiros os "causadores do problema afegão". Ele destacou que, durante os 20 anos de presença norte-americana e de seus aliados, as forças terroristas não foram eliminadas, elas até aumentaram. O povo afegão não conseguiu se desenvolver e continua vivendo na pobreza.

    O Ministério das Relações Exteriores apela ao Talibã (organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países) para tomar medidas para conter as forças terroristas no Afeganistão que pretendem penetrar nos países vizinhos, afirmou Wang.

    "A mudança da situação no Afeganistão teve um efeito combinado na situação internacional e regional na luta contra o terrorismo. Alguns terroristas internacionais, que estão no Afeganistão, planejam penetrar nos países vizinhos. Queremos apelar ao Talibã para se demarcar resoluta e definitivamente de todas as forças extremistas e terroristas, e também para tomar medidas eficazes para as conter", disse Wang.

    Mais:

    Talibã pede que EUA liberem cerca de US$ 10 bilhões de fundos congelados do Afeganistão, diz mídia
    Governo do Talibã tem 'mãos manchadas de sangue de norte-americanos', diz fonte do Pentágono
    Por telefone: Putin e chefe do Conselho Europeu discutem Afeganistão, Ucrânia e Nagorno-Karabakh
    Ex-presidente Ghani pede desculpa aos afegãos por não ter conseguido 'terminar de forma diferente'
    Tags:
    Afeganistão, China, Talibã, ajuda humanitária, chancelaria, Ministério das Relações Exteriores
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar