16:19 14 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    111028
    Nos siga no

    Tom Kenyon, ex-ministro do Comércio australiano, apelou a Camberra para limitar as relações econômicas com Pequim, comparando o presidente Xi Jinping a Mao Zedong.

    As relações sino-australianas têm se deteriorado desde 2020, após Pequim ter imposto taxas no valor de 80% às importações australianas, em resposta ao pedido pela Austrália de uma investigação internacional sobre as origens da COVID-19.

    Em 2019, a China era o maior parceiro comercial da Austrália, representando cerca de 27,4% de todas as trocas comerciais de Camberra, segundo o Departamento das Relações Exteriores e Comércio (DFAT, na sigla em inglês) da nação do Pacífico.

    Em uma entrevista ao jornal Weekend Australian na sexta-feira (2), Kenyon afirmou que a Austrália "precisa começar a se desvincular economicamente da China ou, pelo menos, a limitar a sua exposição à economia chinesa".

    Segundo o ex-ministro, tudo teria começado quando Xi Jinping tomou definitivamente o poder e, desde então, "o Partido Comunista Chinês [PCC] tem se tornado mais agressivo, mais hostil, e mais propenso a interferir em assuntos em outros países. O presidente Xi parece ser um comunista genuíno mais próximo do formato de Mao Zedong do que de Jiang Zemin [antigo presidente chinês]. Isto não é positivo para nós," declarou Kenyon.

    Mao Zedong foi o fundador da República Popular da China (RPC) e dirigiu o PCC desde o estabelecimento do mesmo, em 1949, até a sua morte em 1976. Mao é também conhecido por ser o lançador da Revolução Cultural no país na década de 1960, afirmando sua autoridade sobre o governo chinês.

    Mais:

    MRE russo: iniciativa da China para Oriente Médio está em linha com abordagem de Moscou
    Valorização do bitcoin pode estar aumentando interesse no yuan digital, diz Banco Popular da China
    Austrália impõe sanções a 4 empresas russas por parte ferroviária da Ponte da Crimeia
    Tags:
    relações econômicas, guerra econômica, tensões, Austrália, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar