17:02 16 Abril 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)
    3133
    Nos siga no

    Li Bin, vice-chefe da Comissão Nacional de Saúde da China, disse em uma entrevista coletiva na segunda-feira (15) que 64,98 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 foram administradas na China.

    Após receber críticas de que estaria atrasada com relação a outros países na vacinação de sua população, a China respondeu às alegações por meio de uma publicação do Global Times.

    O jornal destaca que um total de 64,98 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 foram administradas no país, sendo que sua atual capacidade de produção é grande o suficiente para atender à demanda combinada de vacinas domésticas, ajuda externa e exportações

    Especialistas ouvidos pela reportagem destacaram que a China não está ficando para trás nas vacinações, considerando a baixa transmissão do vírus atual e uma estação de alto risco que ainda está por vir.

    Mulher tira foto de flores no Zoológico de Pequim durante pandemia de coronavírus, China, 24 de março de 2020
    © AP Photo / Mark Schiefelbein
    Mulher tira foto de flores no Zoológico de Pequim durante pandemia de coronavírus, China, 24 de março de 2020
    Eles entendem que as vacinas da China distribuídas no exterior podem aliviar a pressão de infecções importadas de outros países.

    A China tem uma taxa de inoculação relativamente baixa, 4,6 vacinas foram administradas a cada 100 pessoas. O número é 32 para os EUA, 66 para os Emirados Árabes Unidos e mais de 108 para Israel.

    A comparação gerou preocupações se a China está ficando para trás na corrida da vacinação e enfrentará uma lacuna de imunidade, mas autoridades e especialistas garantiram ao público que o ritmo da China é adequado.

    Tao Lina, especialista em vacinas ouvido pela reportagem, observou que as conquistas do controle de epidemias na China deram ao país uma janela mais ampla para a vacinação. A capacidade de produção aumentou rapidamente nos últimos meses e em breve chegará a 10 milhões por dia. 

    A China deu início à sua campanha de vacinação em massa em janeiro. Gao Fu, diretor do CDC da China, disse que a China é capaz de vacinar entre 70% e 80% de sua população entre o final de 2021 e meados de 2022 para alcançar a imunidade coletiva.

    Especialistas da OMS chegam ao aeroporto de Wuhan, na província de Hubei, China, em 14 de janeiro de 2021. Equipe foi formada para investigar possíveis origens do novo coronavírus, identificado primeiramente nessa região.
    © AP Photo / Ng Han Guan
    Especialistas da OMS chegam ao aeroporto de Wuhan, na província de Hubei, China, em 14 de janeiro de 2021. Equipe foi formada para investigar possíveis origens do novo coronavírus, identificado primeiramente nessa região

    Tema:
    Pandemia de COVID-19 no mundo em meados de março de 2021 (83)

    Mais:

    China: 'EUA criaram sérios obstáculos à cooperação internacional na luta contra a COVID-19'
    Reino Unido apoia os EUA exigindo maior clareza na investigação sobre a COVID-19 na China
    Biden no G7: China e COVID-19 serão os temas centrais dos EUA no encontro
    Texugos e coelhos podem ter sido os primeiros vetores da COVID-19 na China, diz OMS
    Tags:
    Pequim, EUA, vacinação, COVID-19, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar