14:41 08 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    0 44
    Nos siga no

    O Alibaba Group fechará sua plataforma de streaming de música, o Xiami Music, no próximo mês, em uma medida que marca um retrocesso em relação às suas ambições de entrar na indústria de entretenimento da China.

    "Devido à necessidade de ajustes operacionais, interromperemos o serviço Xiami Music", disse, nesta terça-feira (5), uma das subsidiárias do Alibaba responsável pelo segmento de música on-line no grupo, escreve a Reuters. Segundo o comunicado, o fechamento ocorrerá no dia 5 de fevereiro.

    O Alibaba adquiriu o serviço em 2013, e investiu milhões de yuanes para competir no mercado de música on-line da China, que é dominado pela Tencent Holdings. Seus esforços, no entanto, não deram frutos e o aplicativo atualmente tem apenas 2% do mercado de streaming de música do país.

    "É difícil dizer adeus depois de [a plataforma] estar com você por 12 anos", dizia o comunicado.

    O encerramento das operações do Xiami ocorre depois que reguladores chineses anunciaram que haviam lançado uma investigação antitruste sobre o Alibaba Group, que além de seu principal negócio de comércio eletrônico, também opera em setores como serviços financeiros, computação em nuvem e inteligência artificial.

    No entanto, isso não marca o fim da participação do conglomerado no mercado de streaming on-line. Em setembro de 2019, o grupo investiu 700 milhões de dólares em um dos concorrentes do Xiami, o NetEase Cloud Music.

    A notícia sobre o fim do Xiami Music acontece na mesma semana em que se noticiou que o fundador do Alibaba, o bilionário chinês Jack Ma, está desaparecido há mais de dois meses.

    O fundador do Alibaba, Jack Ma
    © Sputnik / Ilia Pitalev
    O fundador do Alibaba, Jack Ma

    Mais:

    Chanceler da China expressa confiança na vitória sobre a COVID-19
    Relações sino-americanas estão em 'nova encruzilhada' e podem voltar ao normal, diz chanceler chinês
    Mesmo com oposição norte-americana, UE continua ligada a Rússia e China?
    Tags:
    músicas, streaming, Alibaba Group, Alibaba, China
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar