06:10 29 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    120
    Nos siga no

    Seul afirmou neste sábado (26) que vai pedir para a Coreia do Norte investigar as circunstâncias da morte de um oficial sul-coreano baleado na fronteira por tropas norte-coreanas. 

    O cidadão sul-coreano foi encontrado à deriva por tropas norte-coreanas na área da fronteira marítima entre as duas Coreias. O oficial de pesca supostamente tentava desertar para o Norte. 

    A Coreia do Sul informou ainda que poderá pedir uma investigação conjunta com o Norte sobre a morte, que ocorreu na quinta-feira (24).

    O caso gerou um raro pedido de desculpas por parte do líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un. Ele disse que "lamenta muito desapontar" o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e "os cidadãos sul-coreanos porque um incidente inesperado e infeliz aconteceu". 

    A mensagem foi redigida pelo Departamento da Frente Unida, uma agência do governo norte-coreano encarregada das relações inter-coreanas, e divulgada pelo gabinete do presidente sul-coreano. 

    Norte culpa oficial pelo ocorrido

    Apesar das desculpas, Pyongyang culpou o oficial sul-coreano pelo incidente, justificando os tiros por ele ter se recusado a responder às perguntas dos soldados e por ter tentado fugir. 

    Após um encontro do Conselho de Segurança Nacional da Coreia do Sul, realizado na sexta-feira (25), Seul disse que mais investigações eram necessárias pois os relatos da Coreia do Norte sobre a morte eram diferentes das informações coletadas pela inteligência sul-coreana. 

    "Decidimos requerer ao Norte para realizar investigações adicionais e também pedir uma investigação conjunta com o Norte se necessário", afirmou o gabinete do presidente Moon, segundo a agência AP. Além disso, Seul disse que vai "rapidamente tomar medidas para fortalecer ainda mais a vigilância" na área de fronteira marítima para prevenir acidentes.

    Seul acusou o Norte de ter queimado corpo do funcionário

    A Coreia do Sul acusou as tropas norte-coreanas de fuzilarem o oficial e queimaram seu corpo após o encontrarem em um objeto flutuante em águas da Coreia do Norte. 

    Pyongyang, por sua vez, alegou na mensagem enviada para o vizinho que, primeiro, os soldados deram tiros de alerta, após o homem se recusar a responder perguntas e apenas afirmar, por diversas vezes, que era sul-coreano. Em seguida, como o oficial tentou fugir, os soldados dispararam dez tiros contra ele. 

    De acordo com a Coreia do Norte, quando os militares se aproximaram do objeto flutuante, encontraram apenas muito sangue, mas não acharam o corpo do oficial. A Coreia do Sul enviou dezenas de embarcações para encontrar os restos mortais do funcionário.

    Mais:

    Coreia do Norte vai revelar novas e 'melhores' armas no desfile militar de outubro, segundo relatos
    Irã pode ter armas nucleares até fim do ano através de parceria com Coreia do Norte, diz mídia
    Coreia do Sul planeja modernizar submarino com poderosa bateria de lítio
    Tags:
    fronteira, Moon Jae-in, Kim Jong-un, Pyongyang, Seul, conflito, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar