04:24 20 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    9447
    Nos siga no

    Funcionário de 47 anos desapareceu na segunda-feira (21) a bordo de uma embarcação de inspeção marítima da Coreia do Sul. Autoridades do país apontaram o dedo para o vizinho do norte, que se desculpou.

    Nesta sexta-feira (25), o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, emitiu um raro pedido de desculpas pessoal pelo assassinato do oficial sul-coreano, reporta a agência de notícias AP.

    "O camarada Kim Jong Un, presidente da Comissão de Assuntos de Estado, lamenta muito desapontar o presidente [da Coreia do Sul] Moon Jae-in e os cidadãos sul-coreanos porque um incidente inesperado e infeliz aconteceu", diz o comunicado.

    O incidente

    Na quinta-feira (24), a Coreia do Sul acusou a Coreia do Norte de atirar fatalmente em um de seus servidores públicos que provavelmente tentava desertar.

    "A Coreia do Norte encontrou o homem em suas águas e cometeu um ato de brutalidade ao fuzilá-lo e queimar seu corpo, de acordo com nossa minuciosa análise de inteligência militar", publicou a agência de notícias sul-coreana Yonhap citando declaração do Ministério da Defesa do país.

    O presidente Moon afirmou na quinta-feira (24) que o "chocante" incidente "não poderia ser tolerado por nenhuma razão". O Conselho de Segurança Nacional da Coreia do Sul exigiu então que Pyongyang se desculpasse.

    Mais:

    Coreia do Sul investirá bilhões para desenvolver drones militares
    Irã pode ter armas nucleares até fim do ano através de parceria com Coreia do Norte, diz mídia
    Coreia do Sul planeja modernizar submarino com poderosa bateria de lítio
    Coreia do Norte vai revelar novas e 'melhores' armas no desfile militar de outubro, segundo relatos
    Tags:
    Moon Jae-in, Kim Jong-un, Ásia, Coreia do Norte, Coreia do Sul
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar