05:57 23 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Ásia e Oceania
    URL curta
    5344
    Nos siga no

    A China pediu aos Estados Unidos que cessassem as vendas de armas a Taiwan, bem como os exercícios militares conjuntos com Taiwan para não prejudicar as relações sino-americanas, disse o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin.

    O ministro da Defesa dos EUA, Mark Esper, afirmou antes que Washington continuará a vender armas para Taiwan e também realizará operações "para manter a liberdade de navegação, incluindo operações no estreito de Taiwan".

    "A China pede aos EUA que [...] parem com a venda de armas para Taiwan e qualquer contato entre o Exército dos EUA e Taiwan para evitar sérios danos às relações sino-americanas, bem como à paz e estabilidade no estreito de Taiwan", declarou Wang.

    Ele observou que Pequim pede a Washington que respeite o princípio de "uma China" e as disposições dos três comunicados conjuntos.

    O porta-voz chinês acrescentou que a questão de Taiwan tem a ver com a soberania e integridade territorial da China e os interesses mais importantes do país, e destacou que "a China continua firme na defesa de sua soberania e segurança".

    USS Barry navega pelo estreito de Taiwan, 23 de abril de 2020
    USS Barry navega pelo estreito de Taiwan, 23 de abril de 2020

    Em 14 de julho, a China decidiu impor sanções contra a empresa americana Lockheed Martin, principal companhia na venda de equipamentos militares para Taiwan.

    O Departamento de Estado dos EUA aprovou anteriormente a possível venda a Taiwan de equipamentos para a modernização dos sistemas Patriot por um montante total de US$ 620 milhões.

    As relações oficiais entre Pequim e Taipei foram suspensas em 1949, depois que as forças do partido nacionalista chinês Kuomintang, liderado por Chiang Kai-shek, sofreram uma derrota na guerra civil contra o Partido Comunista da China e se mudaram para Taiwan.

    As ligações entre os dois territórios chineses só foram restabelecidas em um nível corporativo e informal no final da década de 1980, sem nenhum contato oficial no momento.

    Mais:

    China sanciona Lockheed Martin por venda de armas a Taiwan
    Drones dos EUA são avistados patrulhando sudeste de Taiwan
    Aviões espiões dos EUA são flagrados perto da China e de Taiwan
    Tags:
    diplomacia, segurança, defesa, armamentos, armas, soberania, Estados Unidos, China, Estreito de Taiwan, Taiwan
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar