19:37 17 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    Polícia de Hong Kong usando gás lacrimogênio contra manifestantes

    Pelo menos 15 policiais ficam feridos em confrontos com manifestantes em Hong Kong

    © REUTERS / Tyrone Siu
    Ásia e Oceania
    URL curta
    216
    Nos siga no

    Pelo menos 15 agentes de segurança foram feridos em confrontos com manifestantes em Hong Kong, informou a polícia em um comunicado.

    Segundo o texto, na tarde deste domingo um "grande grupo de manifestantes extremamente violentos" destruiu lojas e locais de entretenimento e atacou a polícia "com diferentes tipos de armas".

    Como resultado, "15 agentes ficaram feridos e foram internados no hospital", disse o comunicado.

    "A polícia prendeu 29 homens e sete mulheres, com idades entre 12 e 48 anos, por crimes que incluem manifestação ilegal, posse de armas ofensivas e agressão a policiais", acrescenta o documento.

    A polícia também confirmou que uma das tropas disparou para o ar, depois que um companheiro de equipe caiu no chão e foi cercado por manifestantes.

    "A polícia condena fortemente a violência, que foi atroz e cruzou a linha vermelha de uma sociedade civilizada", observa a nota.

    Neste domingo, Hong Kong viveu um novo dia de protestos em que a polícia usou gás lacrimogêneo e canhões de água.

    O gatilho para essa onda de manifestações que começou em 9 de junho foi uma controversa lei de extradição que permitiria a entrega de fugitivos para Taiwan, Macau e a China continental.

    Em meados de junho, o governo de Hong Kong suspendeu a controversa lei, mas recusou-se a revogá-la completamente, de modo que os protestos e confrontos entre a polícia e os manifestantes continuam.

    Mais:

    Manifestantes cercam prédio da Assembleia Legislativa de Hong Kong
    Em meio a proibições, Hong Kong se prepara para nova onda de protestos
    China concentra veículos militares perto de Hong Kong (VÍDEO)
    Tags:
    Polícia, China, protestos, Hong Kong
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar