00:47 20 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    8151
    Nos siga no

    As eleições legislativas do país, realizadas no último domingo (6), foram boicotadas por parte dos partidos de oposição.

    O partido político do presidente Nicolás Maduro, Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), obteve 253 cadeiras no parlamento nacional – o que representa 91,34% dos 277 assentos. O balanço foi divulgado pelo Conselho Nacional Eleitoral (CNE) da Venezuela.

    O mesmo balanço informa ainda que partido de oposição Ação Democrática obteve 11 cadeiras (6,25%), o Avanzada Progresista e o El Cambio conseguiram três posições cada (1,08%, cada), o Primeira Venezuela assegurou duas cadeiras (0,72%), e o Copei e o Partido Comunista ficaram com um assento cada (0,36%, cada).

    Este é o resultado da disputa de 274 assentos na Assembleia Nacional – as outras três cadeiras correspondem à representação indígena, cujos resultados serão divulgados ainda nesta quinta-feira (10), já que as eleições foram realizadas na quarta-feira (9).

    Hoje tivemos uma jornada eleitoral extraordinária, da qual participaram os povos originários. Acontecimento transcendental que é prova da dignificação constituída, ampliada e renovada na Revolução. Com seu voto, eles decidem que tipo de porta-vozes querem na Assembleia Nacional. Parabéns!

    ​A maioria do PSUV na Assembleia Nacional é resultado das conturbadas eleições legislativas realizadas no último domingo (6), que foram boicotadas por parte da oposição e acabaram contando com menos de um terço dos votantes comparecendo às urnas.

    Os Estados Unidos não reconheceram a legitimidade das eleições, assim como o Brasil e outros 15 países das Américas.

    Além disso, Maduro anunciou que a inteligência venezuelana descobriu um plano para assassiná-lo durante as eleições. Segundo o presidente, este foi o motivo para ele ter trocado abruptamente o seu local de votação.

    Mais:

    Irã envia uma dezena de petroleiros com combustível à Venezuela, revela Bloomberg
    Observadores russos chegam à Venezuela para monitorar eleições parlamentares
    Chavismo à vista: qual será o futuro da Venezuela com a nova Assembleia Nacional?
    Especialista não vê ameaça de intervenção em patrulhamento brasileiro na fronteira com Venezuela
    Tags:
    América do Sul, eleição, nicolás maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar