13:35 23 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    7313
    Nos siga no

    O Grande Polo Patriótico, aliança de partidos pró-Maduro, ganhou cerca de dois terços dos votos registrados, com 17,95% para a oposição, e um comparecimento total de 31% no momento.

    O Grande Polo Patriótico, coalizão de partidos que apoia Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, ganhou a maioria no Parlamento do país com 67,6% dos votos, seguido pela aliança da oposição, Ação Democrática, com 17,95%, anunciou no início da manhã de segunda-feira (7) o Conselho Nacional Eleitoral (CNE), a autoridade eleitoral do país sul-americano.

    "Para a aliança do Grande Polo Patriótico 3.558.320 votos, uma percentagem de 67,6%, enquanto a aliança AD [de] Copei, El Cambio, AP, ganhou 944.665, com 17,95%", disse Indira Alfonzo, presidente do CNE.

    A aliança VU/PV/VPA obteve 220.502 votos, 4,19% do total; o Partido Comunista da Venezuela recebeu 143.917 votos, correspondente a 2,73%. Outros partidos obtiveram 357.609 votos, 6,79% do total.

    Nas eleições legislativas participaram 5.264.104 eleitores, com um comparecimento de 31%.

    Estes resultados correspondem a 82,35% dos boletins de urna.

    Reação de Nicolás Maduro

    "Parabéns ao Grande Polo Patriótico em sua perfeita união, ao Partido Socialista Unido da Venezuela [que faz parte da aliança], a todo o povo que, em um dia como hoje, diante da pandemia, superando as dificuldades de combustível, de sanções, saiu para eleger sua Assembleia Nacional", proferiu Maduro na segunda-feira (7) na emissora estatal Venezolana de Televisión, descrevendo o evento como uma grande vitória para a democracia e para a Constituição do país.

    "Temos uma nova Assembleia Nacional. O povo elegeu seus novos deputados, tivemos uma vitória eleitoral gigantesca", disse ele.

    Maduro reiterou que a atual Assembleia Nacional, na qual a oposição tem maioria, foi responsável pela promoção de golpes de Estado, pedidos de intervenção militar e sanções econômicas.

    Maduro afirmou que a Assembleia Nacional eleita "tomará posse" em paz em 5 de janeiro de 2021.

    O presidente da Venezuela garantiu que iniciará um novo ciclo da economia, sem que ninguém se intrometa nos assuntos internos do país.

    Mais:

    Chanceler venezuelano chama Pompeo de 'zumbi' após acusações de fraude eleitoral
    Observadores russos chegam à Venezuela para monitorar eleições parlamentares
    Maduro diz que está disposto a deixar poder se oposição vencer eleições parlamentares
    Tags:
    Parlamento da Venezuela, Parlamento, Assembleia Nacional, Ação Democrática, Conselho Nacional Eleitoral (CNE), Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar