15:01 09 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    21454
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (8), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, afirmou que seu assassinato foi planejado para o dia das eleições legislativas, realizadas no país no domingo (6).

    Nesta terça-feira (8), o presidente venezuelano afirmou durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais que mudou a seção eleitoral onde votaria após ouvir de uma fonte da inteligência colombiana que havia um plano para assassiná-lo. Maduro também acusou o presidente colombiano, Iván Duque, de estar entre os mentores do plano.

    "O presidente da Colômbia, Iván Duque, estava entre os que se preparavam para me matar", disse Maduro.

    No domingo (6), a Venezuela realizou eleições para a Assembleia Nacional, o parlamento do país. Ao todo, 107 partidos políticos concorreram a cadeiras, exceto o bloco de oposição de Juan Guaidó, o líder oposicionista e autoproclamado presidente interino venezuelano que fracassou na tentativa de tirar Maduro do poder. O grupo de Guaidó boicotou as eleições junto a outros 20 partidos.

    De acordo com os resultados preliminares publicados pelo Conselho Nacional Eleitoral do país, ainda na segunda-feira (7), após a contagem de 82% dos votos, o Grande Polo Patriótico Simón Bolívar, grupo político de Maduro, lidera as eleições com 67,6% dos votos. O segundo lugar ficou com o partido da oposição, Aliança Democrática, com 17,95% dos votos.

    Mais:

    Irã envia uma dezena de petroleiros com combustível à Venezuela, revela Bloomberg
    Coalizão do governo obtém maioria nas eleições legislativas na Venezuela com 67,6% dos votos
    EUA condenam eleições 'fraudulentas' na Venezuela, diz Pompeo
    Tags:
    Iván Duque, Colômbia, Juan Guaidó, Nicolás Maduro, Venezuela
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar