21:35 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    11318
    Nos siga no

    Desde que a lei de segurança nacional de Hong Kong entrou em vigor, em 30 de junho, os EUA e seus aliados acusam a China de depreciar o princípio de "um país, dois sistemas".

    Os Estados Unidos denunciaram nesta quinta-feira (29) a prisão de três estudantes de Hong Kong e pediram às autoridades que os libertassem.

    O anuncio foi feito pelo secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, e publicado no site do consulado norte-americano em Hong Kong e Macau.

    "Os EUA condenam veementemente a prisão de três estudantes, ativistas pela democracia, e conclamam as autoridades de Hong Kong a libertar imediatamente aqueles que permanecem detidos", disse a autoridade no comunicado.

    Pompeo voltou a fazer críticas ao governo da China, e disse que Hong Kong reprime a população usando as forças de segurança para fins políticos.

    De acordo com o documento que foi divulgado nesta quinta-feira (29), "a China e seus representantes de Hong Kong esmagam a autonomia prometida de Hong Kong e estripam o respeito pelos direitos humanos, incluindo os direitos de reunião pacífica e liberdade de expressão".

    Lei de segurança nacional de Hong Kong

    No final de junho, a China promulgou uma lei de segurança nacional em Hong Kong, adaptando as políticas de separatismo, subversão, terrorismo e conluio com nações estrangeiras aos critérios de Pequim.

    O governo chinês pediu aos países que criticaram esta medida, que parassem de interferir nos assuntos internos de seu país.

    Mais:

    China retalia EUA e impõe novas restrições à mídia americana
    Bloco econômico liderado por China e Rússia faz jogada para se afastar do dólar e do euro
    Rússia e China têm inveja do poder militar dos EUA, considera Trump
    Tags:
    libertação, Hong Kong, presos, estudantes, China, EUA, Mike Pompeo
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar