06:03 27 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    1512
    Nos siga no

    Departamento de Estado dos EUA informa que o país deve se retirar da Organização Mundial da Saúde (OMS) em julho de 2021.

    Nesta quinta-feira (3), o Departamento e Estado dos EUA, órgão equivalente ao Itamaraty brasileiro, informou que os EUA vão se retirar da OMS em julho de 2021.

    "Quando o presidente [dos EUA Donald] Trump declarou que os EUA se retirariam dessa organização, ele deixou claro que nós vamos buscar parceiros mais transparentes e confiáveis", informou em declaração o representante do Departamento de Estado Morgan Ortagus.

    "A saída entrará em vigor no dia 6 de julho de 2021", informou.

    "Desde o anúncio do presidente, as autoridades dos EUA estão trabalhando para encontrar parceiros que estejam prontos para assumir as funções anteriormente desempenhadas pela OMS", concluiu Ortagus.

    A saída terá impacto na manutenção das atividades da organização, uma vez que os EUA são o principal contribuinte da OMS, financiando cerca de 15% de seu orçamento, informou a AFP.

    Em Genebra, Suíça, a assembleia geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) é aberta pelo diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em 18 de maio de 2020.
    © AFP 2020 / Christopher Black
    Em Genebra, Suíça, a assembleia geral da Organização Mundial da Saúde (OMS) é aberta pelo diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em 18 de maio de 2020.

    Com um orçamento anual de US$ 2,8 bilhões por ano (cerca de R$ 14 bilhões), a OMS funciona com recursos equivalentes a "um hospital de porte médio em um país desenvolvido", afirmou recentemente o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

    Nesta quarta-feira (2), a administração Trump havia adiantado que tomaria as medidas necessárias para retirar os EUA da OMS, informando que o processo poderia levar até um ano para ser concluído.

    Presidente norte-americano Donald Trump durante mesa redonda na cidade de Kenosha, Wisconsin, EUA, 1º de setembro de 2020
    © REUTERS / Leah Mills
    Presidente norte-americano Donald Trump durante mesa redonda na cidade de Kenosha, Wisconsin, EUA, 1º de setembro de 2020

    O candidato democrata à presidência dos EUA, Joe Biden, por sua vez, afirmou reiteradas vezes que, caso seja eleito, vai reverter a decisão de Trump.

    A administração Trump tomou a decisão de se retirar da OMS após acusar a organização de encobrir a real proporção da pandemia do novo coronavírus em função de sua alegada dependência da República Popular da China.

    Mais:

    Abandono da OMS pelos EUA beneficiará China, afirma National Interest
    Alemanha diz que saída dos EUA da OMS é um retrocesso para cooperação internacional
    Brasil pode ser usado pelos EUA em ação contra a China na OMS
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar