22:52 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    483
    Nos siga no

    A bandeira confederada, vista como um símbolo racista nos Estados Unidos, não poderá mais ser hasteada em instalações militares norte-americanas, segundo decisão do Pentágono. 

    O secretário de Defesa estadunidense, Mark Esper, divulgou na noite de quinta-feira (16) lista de bandeiras que podem ser hasteadas em bases militares norte-americanas. 

    Em uma mensagem encaminhada aos responsáveis das Forças Armadas dos EUA, o chefe do Pentágono listou as bandeiras autorizadas em bases, navios, escritórios, salas de conferência ou mesmo locais alugados pelo governo.

    Entre elas, não está a bandeira confederada, que tem uma cruz azul sobre um fundo vermelho e é ornada por 13 estrelas brancas, que simbolizam os estados do sul dos Estados Unidos. 

    'Rejeitando símbolos divisivos'

    "Demos sempre nos manter focados no que nos unifica, nosso juramento à Constituição e nosso dever compartilhado de defender a nação", diz o memorando assinado por Esper, segundo a agência AP. 

    "As bandeiras que hasteamos devem estar de acordo com os imperativos militares de boa ordem e disciplina, tratando todo o nosso povo com dignidade e respeito e rejeitando símbolos divisivos", acrescenta a nota. 

    Os Estados Confederados da América reuniram, a partir de 1861, estados do sul dos EUA contrários à abolição da escravidão, o que levou o país a uma guerra civil. Emblemas confederados são fortemente associados ao racismo e às políticas segregacionistas que vigoraram por décadas nos Estados Unidos.

    Após a morte em Minneapolis do afro-americano George Floyd, em 25 de maio, por um policial branco, surgiu uma onda de protestos antirracistas nos EUA e em vários países do mundo. As manifestações levaram à derrubada ou a retirada por instituições de estátuas e símbolos considerados racistas. 

    Mississippi retirou emblema confederado

    A decisão do Pentágono vai contra a posição do presidente dos EUA, Donald Trump, que defende o direito de cidadãos e instituições usarem a bandeira. 

    No final de junho, o Congresso do Mississippi aprovou a retirada de um emblema confederado de sua bandeira. O estado é o último dos EUA a ter um símbolo confederado em sua bandeira. 

    Mais:

    Estátua de abolicionista negro do século XIX é derrubada nos EUA (FOTOS)
    Em Paris, polícia usa gás lacrimogêneo em protesto contra o racismo e violência policial (FOTOS)
    Londres: protesto contra o racismo tem 113 pessoas detidas e 23 policiais feridos (FOTOS)
    Manifestantes contra o racismo fazem ato em SP (VÍDEO)
    Tags:
    Donald Trump, estátua, racismo, guerra, bandeira, Mark Esper, militares, forças armadas, Pentágono, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar