17:31 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    5152
    Nos siga no

    A Universidade de Princeton, nos EUA, decidiu retirar o nome do ex-presidente Woodrow Wilson do prédio e da escola de políticas públicas e relações internacionais da instituição.

    Wilson é acusado de racismo por defender ideias segregacionistas. Em 2016, a retirada do nome do ex-presidente foi discutida, mas a direção da universidade de Nova Jérsei decidiu mantê-lo. 

    Em carta divulgada neste sábado (27), o presidente da instituição, Christopher Eisgruber, disse que, a luz dos protestos antirracistas que ganharam força nos EUA após a morte de George Floyd, a decisão tinha sido revista. 

    "As políticas segregacionistas de Wilson o tornam um nome especialmente inapropriado para uma escola de políticas públicas", afirmou ele. "Esse ardente momento da história americana tornou claro que o racismo de Wilson o desqualifica para esse papel", acrescentou Eisgruber. 

    Floyd, um homem negro, foi assassinado em 25 de maio por um policial branco em Minneapolis. O agente manteve o pescoço de Floyd pressionado com seu joelho por vários minutos, mesmo após ele falar que não conseguia respirar. A morte gerou uma onda de protestos antirracistas nos EUA e no mundo. Além disso, manifestantes derrubaram estátuas consideradas racistas e monumentos foram retirados por instituições. 

    'Nação que continua a enfrentar o racismo'

    A partir de agora, o novo nome da faculdade será apenas Escola de Princeton de Políticas Públicas e Relações Internacionais. 

    "Em uma nação que continua a enfrentar o racismo, essa universidade e essa escola de políticas públicas e relações internacionais devem defender clara e firmemente a igualdade e a justiça", continuou o presidente de Princeton. 

    A carta ainda elogia o papel de Wilson na construção da universidade, da qual foi reitor, mas argumenta que a retirada de seu nome era importante para combater o racismo persistente contra a população negra dos Estados Unidos. 

    Woodrow Wilson foi governador de Nova Jersey, de 1911 a 1913, e depois presidente dos EUA, de 1913 até 1921. Por seu papel no acordo de paz após o fim da Segunda Guerra, ele ganhou o Nobel da Paz.

    Wilson implementou políticas segregacionistas

    Wilson apoiou políticas de segregação e durante seu mandato presidencial implementou a separação racial em várias agências federais que ainda não tinham políticas do tipo. Além disso, quando era reitor de Princeton, proibiu o ingresso de pessoas negras na instituição. 

    Antes da decisão de Princeton, a Universidade Monmouth, também em Nova Jersey, removeu o nome de Wilson de um dos seus mais importantes edifícios. 

    Mais:

    Em Paris, polícia usa gás lacrimogêneo em protesto contra o racismo e violência policial (FOTOS)
    Londres: protesto contra o racismo tem 113 pessoas detidas e 23 policiais feridos (FOTOS)
    Manifestantes contra o racismo fazem ato em SP (VÍDEO)
    Tags:
    Universidade de Princeton, faculdade, Woodrow Wilson, presidente, polícia, Nova Jersey, racismo, universidade, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar