02:38 05 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    7311
    Nos siga no

    A Câmara dos Deputados do Chile rejeitou nesta quinta-feira (12) um pedido de impeachment contra o presidente Sebastián Piñera sob a acusação de violações de direitos humanos durante os protestos que o país enfrenta.

    Foram 79 votos pela permanência do presidente no cargo, enquanto outros 73 deputados votaram pelo afastamento de Piñera, que governa o país pela segunda vez e ocupa o Palácio La Moneda desde 2018. 

    A oposição havia apresentado o pedido de impeachment após uma série de protestos massivos atingirem o país e casos de violência policial serem registrados. A mobilização começou contra o aumento do preço do bilhete do metrô de Santiago, que posteriormente foi revogado. Ainda assim, as manifestações continuaram e ampliaram sua pauta. 

    A violência policial foi denunciado por entes chilenos e organizações internacionais como a Anistia Internacional e a Human Right Watch.

    Todavia, em uma sessão que durou cinco horas e incluiu intervenções do advogado do presidente e de uma série de parlamentares, os deputados decidiram rejeitar o impeachment.

    Todos os deputados de partido de Piñera votaram por sua permanência, assim como alguns deputados do setor mais conservador da oposição. 

    Mais:

    Chile: Piñera anuncia projeto para aumentar funções das Forças Armadas e aumento do efetivo policial
    Chile vende 20 milhões de dólares tentando conter desvalorização do peso
    Força Aérea do Chile reconhece queda de aeronave que seguia rumo à Antártica com 38 pessoas a bordo
    Em meio a protestos, Banco Central do Chile corta previsões de crescimento econômico
    Navios do Chile e do Brasil acham possíveis destroços de C-130 desaparecido
    Tags:
    Sebastián Piñera, impeachment, Chile
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar