Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

EUA: Fed anuncia maior aumento de juros em 28 anos

© AP Photo / Susan WalshO presidente norte-americano, Joe Biden, discursa na convenção da AFL-CIO (sigla em inglês para Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais), na Filadélfia, EUA, 14 de junho de 2022
O presidente norte-americano, Joe Biden, discursa na convenção da AFL-CIO (sigla em inglês para Federação Americana do Trabalho e Congresso de Organizações Industriais), na Filadélfia, EUA, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 15.06.2022
Nos siga noTelegram
Nesta quarta-feira (15), o Federal Reserve (Fed), o banco central dos EUA, anunciou um aumento de 0,75 ponto percentual na taxa de juros norte-americana. Esse é o maior reajuste desde 1994 e faz parte de um esforço para combater a crescente inflação no país, que está no patamar mais alto em 40 anos.
Na decisão publicada pelo Fed, o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC, na sigla em inglês) cita preocupações com as taxas de inflação do país e cita "desequilíbrio" entre a oferta e a demanda nos EUA devido à pandemia, além de preços mais altos de energia e outras pressões.
Esse foi o terceiro aumento da taxa de juros dos EUA desde o início da pandemia e superou as expectativas de especialistas. A mídia norte-americana especulava que o aumento seria de somente 0,5 ponto percentual.
No comunicado, o Fed também cita uma influência da operação militar especial da Rússia na Ucrânia e seus desdobramentos sobre o reajuste, assim como os mais recentes lockdowns na China. Desde o início da ação russa, os EUA e seus aliados aplicam sanções econômicas sem precedentes contra diversas áreas da economia russa, incluindo o setor de energia, o que tem efeitos sobre os preços internacionais do petróleo.
© AP Photo / Al DragoPresidente do Federal Reserve, Jerome Powell, durante audiência no Capitólio, em Washington, no dia 30 de setembro de 2021
O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, durante uma audiência, no dia 30 de setembro de 2021, no Capitólio, em Washington - Sputnik Brasil, 1920, 15.06.2022
Presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, durante audiência no Capitólio, em Washington, no dia 30 de setembro de 2021
Diante das preocupações de que as medidas do Fed causem uma recessão nos Estados Unidos, o presidente da instituição, Jerome Powell, afirmou que as ações adotadas não têm como objetivo induzir o encolhimento da economia. "Estamos tentando atingir uma inflação de 2% com um mercado de trabalho forte", disse. Atualmente a inflação nos EUA está em 8,6%.
Segundo um levantamento publicado pelo jornal Financial Times, economistas acreditam que os EUA possam enfrentar uma recessão em 2023 devido à política de aumento dos juros para reduzir a demanda.
A economia dos EUA ainda se recupera do impacto da pandemia de COVID-19 e encolheu 1,5% no primeiro trimestre de 2022. Além disso, o país convive com um cenário de alta de preços, notadamente dos combustíveis. Apesar da inflação e da previsão econômica, a taxa de desemprego é de apenas 3,6%.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала