Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Administração Biden poderia retirar tarifas antichinesas para conter inflação nos EUA

© AFP 2022 / Nicholas KammJoe Biden, presidente dos EUA, fala durante convenção no Centro de Convenções de Filaldélfia, Filadélfia, EUA, 14 de junho de 2022
Joe Biden, presidente dos EUA, fala durante convenção no Centro de Convenções de Filaldélfia, Filadélfia, EUA, 14 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 14.06.2022
Nos siga noTelegram
O presidente americano está discutindo a remoção de taxas alfandegárias aplicadas sob a anterior administração. No entanto, um estudo prevê que o impacto de sua retirada deverá ser pequeno.
A administração de Joe Biden, presidente dos EUA, está ponderando retirar algumas das tarifas impostas à China por seu antecessor, Donald Trump (2017-2021), escreve nesta terça-feira (14) o portal Axios.
Biden discutiu a questão com alguns membros-chave de seu gabinete. Ainda não foi tomada uma decisão final, mas deve ser dado um anúncio oficial até o fim de junho, de acordo com as fontes do portal.
O primeiro passo apontado pelo relatório é o Escritório do Representante Comercial dos EUA (USTR, na sigla em inglês) começar um "processo de exclusões" para determinar se alguns itens, como bicicletas, devem ser isentos de tarifas. Ao mesmo tempo, a Casa Branca provavelmente manteria as tarifas de aço, alumínio ou outros grandes bens industriais.
Casa Branca iluminada com luzes laranja em honra do Dia Nacional de Conscientização sobre a Violência com Armas em Washington, EUA, 3 de junho de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 06.06.2022
Panorama internacional
Casa Branca está 'pensando' reduzir tarifas contra a China em meio à alta da inflação nos EUA
Um estudo aponta para as tarifas retiradas apenas reduzirem o Índice dos Preços no Consumidor nos EUA em 0,26 ponto percentual, razão pela qual a representante comercial Katherine Tai quer manter alguma pressão contra a China.
Karine Jean-Pierre, porta-voz da Casa Branca, em resposta a uma pergunta sobre a questão, disse que a atual administração está discutindo o ajuste de algumas das tarifas "irresponsáveis" de Trump, que "não avançam a segurança econômica ou nacional", e que o objetivo é defender os interesses dos trabalhadores dos EUA. No entanto, ela se recusou a revelar mais detalhes das conversas.
Na quarta-feira (8), Jake Sullivan, assessor de Segurança Nacional dos EUA, revelou que a administração Biden estava considerando diversas opções para reduzir as taxas alfandegárias impostas à China sob Trump para aliviar a inflação norte-americana.
As tarifas que o último presidente americano aplicou à China levaram a uma guerra comercial entre Washington e Pequim. Joe Biden retirou no final de março tarifas contra mais de 350 produtos feitos na China, mas ainda há um grande número deles que são taxados nos EUA.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала