Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

Líderes da UE concordam com proibição parcial de importações de petróleo da Rússia

© AP Photo / Olivier MatthysPresidente dos EUA, Joe Biden toca no ombro do chanceler alemão, Olaf Scholz, durante cúpula da UE em Bruxelas, 24 de março de 2022
Presidente dos EUA, Joe Biden toca no ombro do chanceler alemão, Olaf Scholz, durante cúpula da UE em Bruxelas, 24 de março de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 30.05.2022
Nos siga noTelegram
Após discussões em Bruxelas, os líderes dos países da União Europeia (UE) concordaram com a proibição parcial das importações de petróleo da Rússia.
Após semanas de divergências, a União Europeia concordou em levar adiante um sexto pacote de sanções para atingir a economia russa, anunciou o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel.
A última rodada de sanções cobre mais de dois terços das importações de petróleo russas para o bloco de 27 membros.

"Foi alcançado um acordo sobre um embargo às importações de petróleo russo para a UE. Isso afeta imediatamente dois terços das importações de petróleo da Rússia", escreveu o chefe do Conselho Europeu.

Michel também confirmou que o sexto pacote de sanções incluirá uma proibição parcial das importações de petróleo russo e a censura de três canais de TV russos com operações na UE.
Ele explicou que dentro do sexto pacote de sanções da UE está inclusa a desconexão do Sberbank do sistema SWIFT (sigla em inglês para Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Mundiais).
O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, durante a recepção de líderes da diplomacia de países africanos no Dia da África, em Moscou, 25 de maio de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 29.05.2022
Panorama internacional
'Planejadas há muito tempo': Ocidente manterá sanções contra a Rússia após a crise, diz Lavrov
De acordo com a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, até o fim do ano o bloco "realmente reduzirá as importações de petróleo russo em 90%".
Na última terça-feira (24), Von der Leyen revelou em entrevista que a Europa ainda dependia dos hidrocarbonetos russos e que a Rússia podia sair beneficiada optando por outros mercados.

"A União Europeia não pode impor uma proibição total e imediata ao abastecimento energético russo", disse ela.

A UE impôs cinco rodadas de sanções à Rússia entre o fim de fevereiro e o início de abril, desde o começo da operação militar especial desta na Ucrânia.
No entanto, a sexta rodada de sanções, que inclui um embargo ao petróleo e ao gás russos, tem demorado a entrar em vigor devido à alta dependência do bloco dos hidrocarbonetos da Rússia, com países como a Hungria, em particular, mas também Alemanha, Eslováquia, República Tcheca e Bulgária demonstrando sofrer com uma proibição imediata ao fornecimento.
Funcionário de uma empresa petroílfera no local da jazida de óleo Barsukovskoye, distrito autónomo Yamalo-Nenetsky, Rússia - Sputnik Brasil, 1920, 27.05.2022
Panorama internacional
Sanções aumentaram retornos da Rússia do petróleo e gás em recorde de 1,6 bi de rublos, diz portal
O Ocidente intensificou a pressão das sanções sobre Moscou após o início da operação especial, que tem o objetivo de "desnazificar" e "desmilitarizar" a Ucrânia.
O presidente Vladimir Putin disse que a política de conter e enfraquecer a Rússia é uma estratégia de longo prazo de países hostis e que as sanções foram um duro golpe em toda a economia global.
Segundo ele, o principal objetivo dos Estados Unidos e da Europa é piorar a vida de milhões de pessoas.
Ele acrescentou que os eventos atuais traçam uma linha do domínio global do Ocidente tanto na política quanto na economia.
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала