Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

'Putin já tomou sua decisão de invadir a Ucrânia', diz Biden

© AP Photo / Alex BrandonO presidente dos EUA, Joe Biden, concede entrevista coletiva sobre a crise na Ucrânia na Casa Branca, em Washington, em 18 de fevereiro de 2022
O presidente dos EUA, Joe Biden, concede entrevista coletiva sobre a crise na Ucrânia na Casa Branca, em Washington, em 18 de fevereiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 18.02.2022
Nos siga noTelegram
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou, nesta sexta-feira (18), que está "convencido" de que o presidente russo, Vladimir Putin, já tomou a decisão de "invadir a Ucrânia nos próximos dias.
"A partir deste momento, estou convencido de que ele tomou a decisão", disse Biden a repórteres na Casa Branca.
Segundo o presidente norte-americano, as informações vindas de Donbass sobre bombardeios do Exército ucraniano, com morteiros e explosões de origem desconhecida, são "provocações russas encenadas pelo governo", sobre as quais os EUA já vinham alertando.
"Tudo isso é consistente com a cartilha que os russos usaram antes", declarou Biden.
O presidente afirmou ainda que uma ofensiva ucraniana contra as repúblicas de Donbass "desafia a lógica básica" e que o Exército da Ucrânia demonstrou "autocontrole" ao supostamente "não servir como isca" das forças russas. Ele não detalhou quais seriam as supostas armadilhas arquitetadas por Moscou.
Quando perguntado por repórteres como o governo possui informações tão confiáveis neste momento, Biden disse que os EUA "têm uma capacidade significativa de inteligência" e encerrou abruptamente a entrevista coletiva.
No início deste mês, jornalistas já haviam exigido evidências das alegações do governo de que Moscou planejava criar uma justificativa para invadir a Ucrânia.
Nesta sexta-feira (18), as autodeclaradas repúblicas populares de Lugansk e Donetsk anunciaram a evacuação de mais de 700.000 civis para o oeste da Rússia, em meio a um aumento significativo dos bombardeios na região por forças ucranianas.
Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, durante a cerimônia de aposição floral no Túmulo do Soldado Desconhecido no centro de Moscou, Rússia, 16 de fevereiro de 2022. - Sputnik Brasil, 1920, 17.02.2022
Notícias do Brasil
EUA criticam viagem de Bolsonaro à Rússia: 'Mina diplomacia internacional'
Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала