Membros da comitiva de uma delegação em frente da sede das Nações Unidas durante a 76ª sessão da Assembleia Geral da ONU em Nova York, 21 de setembro de 2021 - Sputnik Brasil, 1920, 09.11.2021
Panorama internacional
Notícias sobre eventos de todo o mundo. Siga informado sobre tudo o que se passa em diferentes regiões do planeta.

MRE da Ucrânia convoca embaixadora alemã para expressar decepção sobre o não envio de armas à Kiev

© AP Photo / Alex BrandonO ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitry Kuleba, fala durante encontro com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken no Ministério das Relações Exteriores, em Kiev, Ucrânia, quarta-feira, 19 de janeiro de 2022
O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitry Kuleba, fala durante encontro com o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken no Ministério das Relações Exteriores, em Kiev, Ucrânia, quarta-feira, 19 de janeiro de 2022 - Sputnik Brasil, 1920, 22.01.2022
Nos siga noTelegram
O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia convocou neste sábado (22) a embaixadora alemã em Kiev, Anka Feldguzen, para expressar decepção com a posição de Berlim sobre o não fornecimento de armas letais à Ucrânia.
O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia convocou neste sábado (22) a embaixadora alemã em Kiev, Anka Feldguzen, para expressar decepção com a posição de Berlim sobre o não fornecimento de armas letais à Ucrânia e as observações de um alto oficial militar alemão sobre a Crimeia.
No início do dia, o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmitry Kuleba, disse que as recentes declarações da Alemanha sobre a impossibilidade de transferir armas de defesa para a Ucrânia, a futilidade de retornar a Crimeia e as dúvidas sobre a desconexão da Rússia da Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Internacionais (SWIFT, na sigla em inglês) não correspondem ao nível das relações bilaterais.
"A embaixadora da República Federal da Alemanha na Ucrânia, Anka Feldguzen foi convocada ao Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia. Apontamos a inaceitabilidade categórica das declarações do chefe da marinha alemã, vice-almirante Kay-Achim Schonbach, em particular que a Crimeia nunca mais retornará à Ucrânia e que nosso Estado não pode atender aos critérios de adesão à OTAN. Também expressamos profunda decepção com a posição do governo alemão sobre o fracasso em fornecer armas de defesa à Ucrânia", disse o ministério em comunicado.
O ministério também expressou esperança de que a Alemanha mostre uma posição mais proativa no apoio à Ucrânia e no fortalecimento da capacidade de defesa do país "diante da ameaça de uma invasão russa em larga escala".
Em Bruxelas, a porta-voz da OTAN, Oana Lungescu (destaque), participa de uma coletiva de imprensa, em 23 de março de 2011 - Sputnik Brasil, 1920, 21.01.2022
Panorama internacional
OTAN não desistirá da presença de forças no Leste Europeu, diz porta-voz da aliança
As alegações ucranianas de que a Rússia concentram dezenas de milhares de tropas em sua fronteira, aumentam os temores de que um conflito possa eclodir na Europa, embora Moscou tenha negado reiteradamente qualquer intenção de invadir o território ucraniano ou partir para uma solução diferente de acertos diplomáticos.

Entenda o caso

Ao contrário dos EUA, Reino Unido, Polônia e outros aliados, o governo alemão se recusou a exportar armas letais diretamente para a Ucrânia, apesar de ser um dos maiores exportadores de armas do mundo.
Autoridades alemãs disseram que o impasse é resultado de uma política de longa data em relação à exportação de armas para regiões consideradas tensas.

"O princípio que rege as exportações de armas é sempre o mesmo. Sejam elas vindas diretamente da Alemanha ou de terceiros países. E nenhuma permissão foi emitida neste momento", disse um porta-voz do governo alemão ao The Wall Street Journal, na sexta-feira (21).

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала