Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

EUA colocam na lista negra 7 empresas da China por 'desestabilizar esforços de modernização militar'

© AP Photo / Andy WongMulher usando máscara sentada perto de uma tela que mostra bandeiras da China e dos EUA
Mulher usando máscara sentada perto de uma tela que mostra bandeiras da China e dos EUA - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2021
Nos siga no
Relações entre Washington e Pequim foram prejudicadas por tensões relacionadas a uma ampla gama de questões nos últimos anos, incluindo o impasse comercial em curso entre as duas superpotências.

Os EUA colocaram na lista negra sete empresas chinesas de computação por seus alegados "esforços desestabilizadores de modernização militar", anunciou o Departamento de Comércio norte-americano nesta quinta-feira (8).

"O Escritório de Indústria e Segurança [BIS, na sigla em inglês] do Departamento de Comércio [dos EUA] adicionou sete entidades de computação chinesas à lista de entidades por conduzir atividades que são contrárias à segurança nacional ou aos interesses da política externa dos EUA", lê-se no comunicado, citado pela agência Reuters.

O Departamento de Comércio dos EUA acrescenta que "essas entidades estão envolvidas na construção de supercomputadores usados pelos atores militares da China, [e para] seus esforços desestabilizadores de modernização militar e/ou programas de armas de destruição em massa (ADM, na sigla em inglês)".

Em março, os EUA estabeleceram uma política relacionada à China na qual o país asiático foi apelidado de "o único competidor potencialmente capaz de combinar seu poder econômico, diplomático, militar e tecnológico para estabelecer um desafio sustentado a um sistema estável e internacional".

A China pediu repetidamente o restabelecimento do diálogo, desde que Washington abandone suas políticas de sanções e enfatizou que Pequim nunca se intrometeu nos assuntos internos dos EUA.

Sanções da administração Trump

Em janeiro, o então presidente dos EUA, o republicano Donald Trump, assinou uma ordem que fortalece a proibição de investimentos norte-americanos em empresas ligadas a militares chineses. A decisão alargava o âmbito de uma ordem executiva anterior de novembro de 2020, que, primeiramente, apenas restringia investidores norte-americanos de comprarem títulos nessas empresas após novembro de 2021.

© AP Photo / Susan WalshDonald Trump assina documentos na Casa Branca
EUA colocam na lista negra 7 empresas da China por 'desestabilizar esforços de modernização militar' - Sputnik Brasil, 1920, 08.04.2021
Donald Trump assina documentos na Casa Branca
Em dezembro de 2020, os EUA designaram 45 empresas russas e 58 chinesas como entidades estrangeiras com laços militares, restringindo exportações, reexportações e transferências com as mesmas.

Também em janeiro, uma das maiores fabricantes globais de smartphones, a gigante chinesa Xiaomi apresentou uma queixa no Tribunal do Distrito de Columbia, EUA, contra o Departamento do Tesouro e o Pentágono, exigindo que fosse retirada da lista negra e afirmando que a decisão de colocá-la na lista foi "ilegal e inconstitucional". Xiaomi insiste que não tem conexão com o Exército de Libertação Popular (ELP) da China, apontando uma "quantidade substancial" de cidadãos americanos que têm grandes participações na empresa.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала