Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

FARC não cumprem metas do acordo de paz com o governo da Colômbia

© AP Photo / Fernando VergaraRevolutionary Armed Forces of Colombia, FARC, rebels walk in their camp in La Carmelita near Puerto Asis in Colombia's southwestern state of Putumayo, Tuesday, Feb. 28, 2017
Revolutionary Armed Forces of Colombia, FARC, rebels walk in their camp in La Carmelita near Puerto Asis in Colombia's southwestern state of Putumayo, Tuesday, Feb. 28, 2017 - Sputnik Brasil
Nos siga no
Os militantes das FARC (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) entregaram apenas uma parte do que haviam prometido neste ano para indenizar as vítimas do histórico conflito com o governo colombiano. As partes têm um acordo de paz que já dura quatro anos.

O acordo de paz entre Colômbia e as FARC foi assinado no final de 2016, colocando "fim" à atuação do grupo rebelde após cinco décadas de um conflito que deixou mais de 260.000 mortos, além de milhões de deslocados. No acordo, as FARC tornaram-se um partido político legal, com deputados eleitos para o parlamento colombiano.

Pelo tratado, as FARC concordaram em entregar cerca de R$ 1,5 bilhão em ativos tomados durante o conflito até o final de 2020. Os ex-rebeldes entregaram aproximadamente R$ 66,9 milhões, número que foi confirmado pelas FARC, escreve a Reuters.

© AP Photo / Fernando VergaraMembro das Forças Revolucionárias da Colômbia (FARC) com bandeira da paz, durante a desmobilização do grupo, em 2017
FARC não cumprem metas do acordo de paz com o governo da Colômbia - Sputnik Brasil
Membro das Forças Revolucionárias da Colômbia (FARC) com bandeira da paz, durante a desmobilização do grupo, em 2017
"É uma questão que preocupa muito o governo, não apenas pelo montante de recursos de que estamos falando, mas porque os ativos mal conquistados das FARC foram destinados a indenizar as vítimas, o que teria impacto na reconciliação", disse Emilio Archila, assessor do presidente para a implementação do acordo de paz.

As FARC atribuíram o déficit ao fracasso do governo em ajudar a implementar o acordo e às ameaças aos ex-guerrilheiros. O grupo também citou grupos armados ilegais ocupando territórios que anteriormente controlava, entre outros motivos. A senadora Sandra Ramirez, integrante do conselho político da Força Alternativa Revolucionária Comum, como as FARC é conhecida como partido político, afirmou:

​Como partido FARC, temos cumprido a entrega de mercadorias, porém presenciamos artifícios do governo para nos fazer ver como culpados por não reparar as vítimas.

"Não há dúvidas de nossa disposição, não renunciaremos aos nossos compromissos", disse o pastor Alape, membro do partido político das FARC. Além de dinheiro e ouro, as FARC disseram que entregaram infraestrutura, incluindo estradas e postos de saúde que construíram nas áreas em que operam, bem como gado e armas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала