18:57 23 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    160
    Nos siga no

    Acordo de paz entre governo da Colômbia e guerrilha não conseguiu encerrar conflito armado, afirma especialista.

    Em entrevista à Sputnik Mundo, Víctor Corredor, membro do Foro Internacional de Vítimas do Conflito Colombiano, expressou: "As mortes que ocorreram nestes últimos anos, incluindo o período do governo de Iván Duque, é uma prova de que foi um fracasso."

    O especialista ressaltou que, entre fatores que determinam esta situação, está a ausência de "tolerância" na sociedade, é "crucial para o que êxito dos acordos se cumpra".

    Corredor apontou que uma grande responsabilidade recai sobre os governantes da Colômbia, que nunca atenderam as exigências do "setor que é maioritário" como "o acesso à educação gratuita" ou "serviços hospitalares", persistindo a desigualdade.

    Bandeira da Colômbia
    © REUTERS / John Vizcaino
    Bandeira da Colômbia

    Também responsabilizou os EUA, qualificando a potência norte-americana como um "participante do fracasso" tendo em conta sua "incidência" nos dirigentes da Colômbia, entre outras questões.

    "Aqui não se move um dedo sem a vontade dos EUA", denunciou Corredor, ao se mostrar convencido de que teria se avançado muito na direção da paz se Washington tivesse desejado.

    Algo que não ocorre devido à instabilidade na Colômbia responder aos interesses de Washington, e que incluem justificar a presença militar no país – particularmente no âmbito de suas estratégias contra a Venezuela – ou aos relacionados com o negócio do narcotráfico.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Colômbia cumprirá meta de erradicação da coca em 2020, diz ministro da Defesa
    Colômbia comovida: novo massacre deixa 8 mortos em zona rural
    Caracas responsabiliza governo colombiano por rearmamento de ex-membros das FARC
    Tags:
    Estados Unidos, narcotráfico, Colômbia, conflito, paz, política
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar