Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Contra-almirante da Marinha dos EUA teria feito visita não anunciada a Taiwan

© REUTERS / Stephen LamManifestante com bandeiras de Taiwan e dos EUA
Manifestante com bandeiras de Taiwan e dos EUA - Sputnik Brasil
Nos siga no
A visita a Taipé pelo militar é a terceira por um alto responsável norte-americano em 2020, o Pentágono e a chancelaria de Taiwan se recusaram a comentar o evento.

Um almirante da Marinha dos EUA, encarregado da inteligência militar norte-americana na região da Ásia-Pacífico, visitou Taiwan sem ser anunciado, informou a agência Reuters no domingo (22) citando duas fontes anônimas que afirmam estar familiarizadas com a situação.

As fontes anônimas, que incluem um funcionário taiwanês, disseram que o visitante era o contra-almirante Michael Studeman, um diretor do Departamento de Inteligência do Estado-Maior Conjunto no Comando Indo-Pacífico dos EUA.

O Pentágono e o Ministério da Defesa de Taiwan se recusaram a comentar a suposta visita quando foram abordados pela Reuters. A chancelaria de Taiwan confirmou que um funcionário dos EUA chegou a Taiwan, acrescentando apenas que a visita não foi tornada pública.

No mesmo dia (20), a China reagiu ao incidente, relatou a Reuters, com o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, dizendo em coletiva de imprensa que a China "se opõe resolutamente" a qualquer forma de intercâmbio entre as autoridades americanas e taiwanesas.

"O lado chinês dará uma resposta legítima e necessária de acordo com a evolução da situação", afirmou, exortando os EUA a reconhecer plenamente a extrema sensibilidade da questão de Taiwan.

Anteriormente, Zhao criticou o administrador da Agência de Proteção Ambiental (EPA, na sigla em inglês) dos EUA, Andrew Wheeler, por uma visita agendada para dezembro de 2020.

"A China se opõe firmemente a qualquer intercâmbio oficial entre os Estados Unidos e Taiwan", disse na sexta-feira (20) o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores chinês.

Estatuto de Taiwan

Pequim considera Taiwan como parte da China, enquanto Taiwan se refere a si mesmo como República da China. Pequim é altamente crítica em relação aos países que se envolvem em relações oficiais com Taiwan, afirmando frequentemente o princípio de uma só China, o qual estipula que somente um Estado soberano pode ser chamado de China.

O Departamento de Estado norte-americano observa que Washington e Taipé "desfrutam de uma robusta relação não oficial", notando que os EUA "não apoiam a independência de Taiwan" e insistindo que "não fornece assistência ao desenvolvimento de Taiwan".

No entanto, o secretário de Estado dos Estados Unidos, Mike Pompeo, afirmou em 12 de novembro que tanto os democratas quanto os republicanos nos EUA reconhecem Taipé como sendo separado da China continental.

Durante 2020, dois funcionários dos EUA visitaram Taiwan: o subsecretário de Estado para o Crescimento Econômico, Energia e Meio Ambiente, Keith Krach, e o secretário da Saúde, Alex Azar.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала