Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Irã não quer guerra e derramamento de sangue, garante ministro do Paquistão

Nos siga no
O ministro das Relações Exteriores do Paquistão, que viajou entre Washington e Teerã no decorrer de uma semana, expressou confiança nesta sexta-feira de que o Irã estava tentando diminuir as tensões.

Shah Mehmood Qureshi discutiu nesta sexta-feira o processo de paz com o Irã e com o Afeganistão com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, cinco dias depois de ver o presidente iraniano Hassan Rouhani.

Embora não tenha dito que estava transmitindo alguma mensagem, Qureshi revelou que entendeu que os iranianos "não queriam escalar as coisas".

"Eles não querem guerra, não querem mais derramamento de sangue", garantiu Qureshi a repórteres em Washington.

Os Estados Unidos, em 3 de janeiro, mataram o general mais poderoso do Irã, Qassem Soleimani, em um ataque de drones enquanto ele visitava Bagdá, capital do Iraque.

O Irã respondeu com ataques de mísseis contra as forças americanas no Iraque, mas Qureshi, de acordo com muitos observadores, acredita que a represália foi planejada para minimizar as baixas.

© AP Photo / Escritório do líder supremo iranianoO comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, general-major Qassem Soleimani, (no centro) na reunião com o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, e comandantes em Teerã (foto de arquivo)
Irã não quer guerra e derramamento de sangue, garante ministro do Paquistão - Sputnik Brasil
O comandante do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica, general-major Qassem Soleimani, (no centro) na reunião com o líder supremo iraniano, aiatolá Ali Khamenei, e comandantes em Teerã (foto de arquivo)

Qureshi, cujo país tem fortes relações com a Arábia Saudita, comentou que a liderança iraniana também sinaliza a disposição de aliviar as tensões com seus vizinhos árabes.

Os iranianos "destacaram os problemas e as diferenças que tiveram com outros países importantes da região", afirmou.

"Eles disseram que estão dispostos a se envolver em qualquer nível e em qualquer formato", acrescentou Qureshi.

O presidente dos EUA, Donald Trump, que está intimamente aliado à Arábia Saudita, em 2018 retirou-se de um acordo nuclear com o Irã e impôs sanções abrangentes destinadas a reduzir a influência regional de Teerã.

Autoridades norte-americanas culparam o Irã por um ataque de setembro às instalações petrolíferas sauditas, embora as potências do Oriente Médio tenham se envolvido em uma diplomacia cautelosa desde então.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала