01:23 24 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    141
    Nos siga no

    O ministro da Educação da Arábia Saudita acredita que os países do G20 devem se preparar para que a educação à distância se mantenha por um período prolongado.

    Neste domingo (22), o ministro da Educação saudita, Hamad Al-Sheikh, apresentou os resultados do trabalho do grupo na área de educação realizado este ano.

    "Ninguém esperava que 1,6 bilhão de estudantes estariam fora das escolas", disse o ministro. "Nenhum sistema educacional preparou sua infraestrutura ou pessoal para uma mudança tão fundamental no sistema."

    Para lidar com a crise, as 20 maiores economias do mundo apontaram a necessidade da continuidade da educação em meio à pandemia.

    Líderes reunidos durante conferência do G20, realizada via videoconferência sob a presidência da Arábia Saudita, 21 de novembro de 2020
    © REUTERS / Yves Herman
    Líderes reunidos durante conferência do G20, realizada via videoconferência sob a presidência da Arábia Saudita, 21 de novembro de 2020

    Os países adotaram o conceito de educação mista, que combina aulas e atividades presenciais com o modelo on-line, predominante em 2020.

    "É o começo de uma nova era, na qual a educação mista será a norma", disse Al-Sheikh. "A aplicação do modelo depende da idade [dos estudantes], disciplina e nível de dificuldade."

    Para ele, os países do G20 devem se focar em adaptar sua infraestrutura para atender ao modelo de educação à distância, que prevalescer ainda por algum tempo.

    "A vacina pode não ser disponibilizada para estudantes, uma vez que [os imunizantes] não estão sendo testados em jovens", lembrou o ministro saudita.

    Por isso, o Ministério da Educação da Arábia Saudita segue melhorando o sistema de educação on-line e corrigir as lacunas no aprendizado de seus estudantes que eventualmente posam ter sido criadas durante o ano da pandemia.

    O ministro também falou sobre alterações no currículo escolar saudita, para adotar "uma visão mais moderada do Islã".

    Líderes sauditas acompanham discurso do Rei Salman bin Abdulaziz Al Saud durante encontro de líderes do G20, realizado por videoconferência a partir de Riad, Arábia Saudita, 21 de novembro de 2020
    © Foto / Serviço de Imprensa G20 2020
    Líderes sauditas acompanham discurso do Rei Salman bin Abdulaziz Al Saud durante encontro de líderes do G20, realizado por videoconferência a partir de Riad, Arábia Saudita, 21 de novembro de 2020

    As alterações teriam sido propostas pelo príncipe herdeiro do reino, Mohammed bin Salman, e integrariam o programa de reformas do país chamado "Visão 2030".

    "Estamos realizando alterações em nosso currículo por nossa própria iniciativa, para garantir que elementos de tolerância e moderação estejam presentes", relatou o ministro.

    "Quando encontramos elementos de pensamento ou ideias extremistas [nos livros didáticos], nós os retiramos", disse Al-Sheikh. "Já fizemos a primeira revisão de nosso material, e estamos ansiosos para realizar a segunda."

    O ministro criticou a mídia internacional, que estaria se baseando em livros didáticos antigos para acusar o governo saudita de promover extremismo no sistema educacional do reino.

    Neste fim de semana, a Arábia Saudita promove a Conferência de Líderes do G20, conduzida por videoconferência a partir de Riad. Neste domingo (22), os líderes se reúnem pela segunda vez para o encerramento das atividades do grupo em 2020.

    Mais:

    'Não voltamos para a idade da pedra', diz ministro saudita na abertura da conferência do G20
    Putin no G20: é preciso que abandonemos protecionismo econômico e prática de imposição de sanções
    'Acordo de Paris era para destruir a economia norte-americana', diz Trump no G20
    'Enxergo todos com as mesmas cores: verde e amarelo', diz Bolsonaro em cúpula do G20
    Tags:
    líderes mundiais, líderes, reunião, G20, pandemia, COVID-19, Arábia Saudita
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar