14:12 21 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    110
    Nos siga no

    Cientistas da Universidade Estatal de Psicologia e Pedagogia de Moscou (UEPPM) estudaram as motivações dos diferentes tipos de assassinos sexuais em série, definindo os fatores que levam à agressão criminosa e que determinam o estilo da mesma.

    Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Psikhologia i Pravo (Psicologia e Direito).

    Especialistas acreditam que, hoje em dia, os policiais carecem frequentemente de dados científicos sobre agressão sexual em série. O modelo proposto pelos psicólogos da UEPPM poderá facilitar a investigação graças a informações tipificadas sobre o criminoso, definindo critérios concretos que o permitem identificar.

    A pesquisa baseia-se nas ideias de Lyudmila Konysheva, psicóloga que divide os assassinos sexuais em série em três tipos: "maníacos sexuais", "forçadores" e "situacionistas". A análise realizada pelos cientistas permitiu separar da amostra representantes de "tipos puros", cujo teor era de 39%. Nos outros criminosos examinados, a agressão criminal era uma combinação de vários fatores típicos "puros".

    Mecanismos avariados

    De acordo com os cientistas, cada tipo de criminoso é caracterizado por um fator dominante de personalidade: no "maníaco sexual" isso é uma patologia sexual provocada por falha cerebral orgânica; no "forçador" ele é um transtorno de personalidade limítrofe, já para o "situacionista" ele é o déficit de estruturas da personalidade (intelectuais, emocionais, do papel social) que controlam os impulsos agressivos e sexuais.

    "O trabalho realizado permitiu, na caracterização dos tipos de assassinos sexuais em série, deixar de usar a linguagem das metáforas descritivas e começar a usar a linguagem das determinantes psicológicas que prevalecem na formação da agressividade criminal", disse Nikolai Dvoryanchikov, decano da Faculdade de Psicologia Jurídica da UEPPM.

    A motivação específica dos "maníacos sexuais" é definida por desejos sexuais anômalos, cuja satisfação está condicionada à morte do objeto de desejo. A finalidade do homicídio é a obtenção de excitação sexual e orgasmo através do sofrimento da vítima, ou então da manipulação do cadáver. Tais assassinos costumam buscar ou criar situações que correspondem ao desejo.

    Nos "forçadores", a desarmonia da personalidade condiciona o desejo de autorrealização pela agressividade. O exercício do poder e controle sexuais, no qual o homicídio é o "castigo" da vítima, é fruto de concepções incorrigíveis de hostilidade para com as mulheres. Tais criminosos são extremamente seletivos e cuidadosos quanto a fatores situacionais.

    Para os "situacionistas", o objetivo do homicídio é suprimir a resistência, imobilizar a vítima para ter acesso ao seu corpo. Assassinos deste tipo costumam exercer um mecanismo de "redirecionamento da agressão", ou seja, descarregar na vítima as emoções negativas contra todos em geral. As ações do criminoso são determinadas por fatores situacionais: são espontâneas e muitas vezes passam por alto risco de descoberta. Além disso, tal criminoso não costuma levar em conta a possível resistência da vítima ou eventuais testemunhas.

    Costumes do assassino

    "A análise das estatísticas revelou os marcadores de comportamento criminal específicos para cada um dos três tipos de assassino e também as combinações dos traços de personalidade com o comportamento pré-criminal e criminal específicas para o 'forçador' e o 'maníaco sexual'", explicou Nikolai Dvoryanchikov.

    As particularidades do comportamento pré-criminal dos "maníacos sexuais" incluem conflitos matrimoniais devidos à falta de potência sexual, falta de atração sexual pela mulher, atitude emocional incomum perante as crianças, adolescentes e idosos, e também o desejo de torturar e matar animais. Além disso, tais criminosos costumam ter um início tardio de vida sexual, padecer de doenças endocrinológicas e ter familiares próximos com doenças mentais.

    Os "maníacos sexuais" costumam escolher vítimas de ambos os sexos de diferentes idades, que eles buscam dentro de determinadas zonas. Eles costumam encontrar com antecedência o lugar do futuro crime e são capazes de usar astúcia para levar a vítima lá.

    Violência contra a mulher
    Marcos Santos/USP Imagens
    Violência contra a mulher

    Criminosos deste tipo costumam matar a vítima antes de praticar atos de caráter sexual, e o ato sexual natural pode ser substituído por atos simbólicos. O "maníaco sexual" costuma atuar na parte da manhã e levar consigo objetos da vítima de pequeno valor como recordação.

    Os "forçadores" costumam ter na sua atividade pré-criminal múltiplos contatos sexuais e trocar frequentemente de parceira, gostam de forçar os atos sexuais, inclusive abusando do seu cargo no trabalho. Eles costumam ter conflitos matrimoniais devidos a demandas sexuais excessivas e adultério, tendência para causar dor à parceira. Outra sua característica é a obsessão pela saúde, alimentação e forma física.

    Tais assassinos costumam escolher como vítimas mulheres sexualmente atrativas de 18-25 anos. O criminoso costuma estudar e preparar o lugar do crime com antecipação. A agressão sexual não seria desviante, tendo por objetivo o ato sexual como tal, frequentemente praticado por múltiplas vezes. A vítima só é assassinada depois do estupro e seus haveres são furtados.

    A pesquisa usou dados de arquivo de tribunais da cidade e da região de Moscou e também do Centro Estatal de Psiquiatria Social e Forense Serbsky.

    Mais:

    ONU denuncia tortura e violência sexual contra manifestantes detidos no Chile
    Em 3 dias, Mato Grosso do Sul registra 2 episódios de violência com indígenas
    Tags:
    violência sexual, assédio sexual
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar