11:39 11 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Sociedade
    URL curta
    2321
    Nos siga no

    A Privacy International exigiu à dona do Google atitudes para impedir a perigosa vulnerabilidade provocada por certos aplicativos nos gadgets com Android.

    A ONG britânica Privacy International secundada por 50 outras organizações, noticiou no seu site que aparelhos com sistema operacional Android possuem aplicativos pré-instalados que não podem ser deletados, o que poderia causar vulnerabilidade aos usuários devido a coleta, compartilhamento e exposição de dados sem as devidas permissões ou consentimento.

    "Privacidade não pode ser um luxo oferecido somente às pessoas que têm dinheiro para isso", segundo a carta escrita ao presidente-executivo da holding Alphabet Inc. e dona da Google, Sundar Pichai.

    Ainda na carta é explicado que aplicativos pré-instalados podem ter "permissões privilegiadas que lhes dariam oportunidade de operar fora do modelo de segurança do Android", fazendo com que os próprios aplicativos definam suas permissões e passem a acessar o microfone, câmera e localização.

    A Privacy International e mais de 50 organizações pediram na carta que a holding permita que usuários possam desinstalar permanentemente aplicativos pré-instalados dos seus smartphones e que os aplicativos em questão sigam a mesma política dos aplicativos do Play Store, especialmente em relação às permissões personalizadas, e tenham algum mecanismo de atualização, através do Google Play e sem uma conta de usuário.

    Mais:

    Google, Facebook e Microsoft propõem que Pentágono controle inteligência artificial
    'Vigilância': Facebook e Google 'ameaçam direitos humanos' com captura de dados, diz Anistia
    Huawei pretende criar alternativa a serviços do Google na Índia até fim do ano
    Tags:
    dados pessoais, privacidade, vulnerabilidade, Android
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar