11:50 30 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Rússia
    URL curta
    842
    Nos siga no

    O opositor russo Aleksei Navalny deixou neste sábado (22), na hora local, o hospital na cidade russa de Omsk em um transporte de cuidados intensivos, que deverá levá-lo ao aeroporto de onde o político será transportado para a Alemanha, informou um correspondente da Sputnik.

    Na sexta-feira (21), os médicos de Omsk deram luz verde ao transporte de Navalny para tratamento para a Alemanha, depois que ele sofreu um problema de saúde agudo que o levou ao coma durante um voo doméstico russo na quinta-feira (20).

    Os partidários de Navalny suspeitam que ele tenha sido envenenado, depois de tomar um chá durante o voo para Moscou, enquanto o médico-chefe da clínica de Omsk, no oeste da Sibéria, atribui sua condição a um distúrbio metabólico.

    A Cinema for Peace Foundation, com sede em Berlim, enviou um avião com uma equipe de profissionais médicos para Omsk em um esforço para levar Navalny para o hospital de caridade. O jato já o esperava na pista enquanto o político deixava a unidade hospitalar.

    Líder oposicionista russo Aleksei Navalny (foto de arquivo)
    © Sputnik / Yevgeny Odinokov
    Líder oposicionista russo Aleksei Navalny (foto de arquivo)

    De acordo com o correspondente da Sputnik, o transporte de cuidados intensivos deixou o hospital com Navalny por volta das 5h15 (hora local).

    O opositor russo é conhecido por promover manifestações contra o presidente Vladimir Putin. Nas mais recentes eleições, acabou não conseguindo concorrer, ao que o líder russo respondeu com uma crítica aos EUA e "outros países do Ocidente" pelo apoio a Navalny.

    Mais:

    Navalny e mais 1.600 manifestantes são presos em Moscou durante protesto contra Putin
    Líder oposicionista russo Navalny é detido durante protesto não sancionado
    Fundação de opositor Aleksei Navalny é alvo de buscas policiais na Rússia
    Tags:
    saúde, oposição, envenenamento, intoxicação, Vladimir Putin, Aleksei Navalny, Omsk, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar