06:13 19 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    61140
    Nos siga no

    EUA "prefeririam" transferir equipamentos e tropas que estão saindo do Afeganistão para Uzbequistão ou Tajiquistão – duas ex-repúblicas soviéticas, relata The Wall Street Journal, citando funcionários do governo e militares familiarizados com a situação.

    No entanto, as fontes admitem que a presença militar da Rússia na região e a crescente influência da China "complicam os planos" de implantação de forças norte-americanas na Ásia Central.

    O Tajiquistão é um membro de pleno direito da Organização do Tratado de Segurança Coletiva (OTSC) liderada pela Rússia, e o Uzbequistão, que deixou de participar da aliança em 2012, continua, mesmo assim, mantendo fortes laços econômicos e de segurança com Moscou.

    Além do mais, o Uzbequistão também possui status de observador na União Econômica Eurasiática (UEE) e é membro da Organização para Cooperação de Xangai.

    Na semana passada, Zalamay Khalilzad, o representante especial dos EUA para Afeganistão, visitou tanto Tajiquistão como Uzbequistão.

    O diplomata teria discutido a necessidade de evitar que a violência se descontrole no Afeganistão entes de os EUA e aliados saírem completamente da nação até 11 de setembro.

    Avião C17A da Força Aérea dos EUA
    Avião C17A da Força Aérea dos EUA

    Washington começou a trabalhar na promoção de laços de segurança com as repúblicas centro-asiáticas nos anos 90 após a dissolução da União Soviética, implantando em 2001 por curto período de tempo tropas no aeródromo de Kulob, no Tajiquistão, e estabelecendo rotação de sete mil soldados dos EUA na base aérea de Karshi-Khanabad, no sul do Uzbequistão, entre 2001 e 2005.

    Porém, o governo uzbeque obrigou as forças norte-americanas a irem embora após distúrbios civis em 2005 que teriam sido patrocinados por "organizações não governamentais" e apoiados pelos EUA.

    No ano passado, veículos de imprensa dos EUA informaram que a base que abrigava as tropas norte-americanas no início dos anos 2000 apresenta níveis de "sete a nove vezes maiores que o normal" de contaminação por armas de destruição em massa (ADM) depois de militares reformados terem relatado uma onda de cânceres raros e outras doenças inexplicáveis.

    Mais:

    EUA enviam mais bombardeiros e caças ao Oriente Médio em meio à saída de tropas do Afeganistão
    Base aérea no Iraque com forças dos EUA é atingida por drone
    EUA podem reativar estratégica base da Força Aérea no Alasca a apenas 320 km da Rússia, diz revista
    Tags:
    Rússia, Uzbequistão, Afeganistão, Ásia Central, EUA, base aérea
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar