01:48 24 Junho 2021
Ouvir Rádio
    Américas
    URL curta
    358
    Nos siga no

    Estados Unidos enfrentam alguns contratempos durante retirada de suas tropas de Cabul, ao receberem pedidos de aliados europeus para adiarem sua partida e possível remoção de tropas turcas antes do previsto.

    Aliados europeus estão pressionando os EUA para atrasarem a retirada de suas tropas do Afeganistão e assim concederem mais tempo e apoio para os aliados da OTAN partirem do país, segundo o The Wall Street Journal.

    O governo norte-americano havia sugerido que sua saída poderia ser concluída até 4 de julho, mas em reposta ao apelo de aliados, Washington disse que poderia adiar a partida em duas semanas ou mais.

    Um oficial europeu disse que a Alemanha, assim como outros países, pediram aos EUA que adiassem até 18 de julho, segundo a mídia.

    Recuo da Turquia

    Porém, além do pedido dos aliados europeus, os EUA encontram outra dificuldade que pode tornar sua saída do país mais intricada do que o imaginado, pois a Turquia, que por anos assegurou o aeroporto de Cabul, também anunciou que suas tropas podem partir mais cedo.

    O novo posicionamento de Ancara, que anteriormente planejou ficar até depois da retirada da coalizão, pode mexer de forma profunda com o atual cenário, e levar alguns países ocidentais a reconsiderarem os planos de manter embaixadas abertas na capital sem uma força internacional no Aeroporto Internacional Hamid Karzai, de acordo com a mídia.

    Cerimônia de transferência em Camp Anthonic, do Exército dos EUA, para as Forças de Defesa Afegãs na província de Helmand, Afeganistão , 2 de maio de 2021.
    © REUTERS / Gabinete de Imprensa do Ministério da Defesa dos EUA
    Cerimônia de transferência em Camp Anthonic, do Exército dos EUA, para as Forças de Defesa Afegãs na província de Helmand, Afeganistão , 2 de maio de 2021.

    Esses dois fatores acentuaram o desafio dos EUA que planejam uma saída rápida do Afeganistão, enquanto trabalham em coordenação com seus parceiros na OTAN, com os quais adotaram a promessa de "entrarmos e sairmos juntos" do país.

    Desde que Washington começou a se retirar do país, em 1º de maio, a segurança de suas forças foi aumentada e ontem (7), uma dúzia de aviões de guerra adicionais foi enviada para cobrir as tropas norte-americanas.

    Em meados de abril, o presidente, Joe Biden, anunciou a retirada total dos EUA do Afeganistão a partir do dia 1º de maio até 11 de setembro.

    Por sua vez, a Al-Qaeda (organização terrorista proibida na Rússia e demais países), que atua no país, disse que a guerra contra Washington na região não acabou, pois "continuará em todas as outras frentes, a menos que [os EUA] sejam expulsos do resto do mundo islâmico".

    Mais:

    Senador dos EUA adverte que falta de tropas americanas levará Talibã a 'controlar' Afeganistão
    Retirada de tropas americanas do Afeganistão é 'derrota' dos EUA, diz especialista
    Explosão no leste do Afeganistão deixa pelo menos 30 mortos e 60 feridos
    Tags:
    Guerra no Afeganistão, EUA no Iraque, EUA, tropas turcas
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar