14:49 11 Maio 2021
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2363
    Nos siga no

    Nesta terça-feira (20), Stephen Townsend, chefe do Comando dos EUA para a África (AFRICOM, na sigla em inglês), disse a políticos norte-americanos que o cais recém-construído na base naval chinesa em Djibuti é suficientemente grande para fornecer apoio a um porta-aviões.

    Referindo-se à base naval chinesa que se localiza perto da entrada para o mar Vermelho, o chefe do AFRICOM informou à Comissão das Forças Armadas da Câmara dos Representantes dos EUA que o Exército de Libertação Popular (ELP) estava expandindo suas instalações navais existentes adjacentes para um porto comercial de águas profundas, também de propriedade chinesa, aponta USNI News.

    Além disso, segundo o comandante, Pequim está buscando outras opções para construção de bases militares em outros lugares na África.

    "Sua primeira base militar no exterior, sua única, está na África, e eles [a China] acabaram de expandi-la adicionando um cais significante, que pode até mesmo no futuro fornecer apoio para seus porta-aviões. Eles estão procurando em todo o continente outras oportunidades [para construção] de bases", declarou Townsend.
    Helicóptero sobrevoa o porto de Djibouti, Djibuti (foto de arquivo)
    © AP Photo / Sayyid Azim
    Helicóptero sobrevoa o porto de Djibouti, Djibuti (foto de arquivo)

    A base chinesa foi formalmente inaugurada em 2017, cujo objetivo é apoiar a missão antipirataria de Pequim no largo da costa da Somália no golfo de Áden.

    Porém, de acordo com analistas, o país tem expandido as instalações para incluir capacidades que sirvam como um centro de reabastecimento logístico para as embarcações de águas profundas da Marinha da China, tais como o seu novo navio de assalto anfíbio Type 075 ou o segundo porta-aviões totalmente produzido pelo país Type 002.

    O pequeno país africano possui bases militares dos EUA, Japão e França, mas nenhuma das bases desses países se compara à base chinesa em tamanho e modernidade. Djibuti, que se situa no extremo leste da África, ocupa uma importante localização estratégica por oferecer acesso fácil à península Arábica, ao golfo Pérsico e ao oceano Índico.

    Assim como nos países vizinhos, Djibuti realiza muitos projetos de infraestrutura liderados pela China, e no total existe mais de um milhão de trabalhadores chineses espalhados em todo o continente africano.

    Mais:

    Bases militares de Pequim no mar do Sul da China são vulneráveis a ataques inimigos, aponta mídia
    China lança novo navio de assalto anfíbio capaz de transportar 30 helicópteros de ataque (VÍDEO)
    China tenta recriar Nova Rota da Seda na África, escreve mídia
    Tags:
    Djibuti, Golfo de Áden, base naval, EUA, China, porta-aviões
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar