18:41 18 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    233
    Nos siga no

    O governo interino da Líbia, liderado pelo primeiro-ministro Abdullah Thani, enviou neste domingo (13) carta de renúncia para o presidente do Parlamento sediado na cidade de Tobruk, Aguila Saleh. 

    A medida ocorre em meio a protestos nos últimos dias em locais como Benghazi, onde fica a sede do governo, e outras cidades da região contra cortes de energia e o alto custo de vida.

    "O governo da Líbia submeteu uma carta de renúncia para o presidente do Parlamento. [A carta] será submetida ao conselho [Câmara dos Representantes]", disse o Parlamento por meio de um comunicado. 

    Na sexta-feira (11), o Parlamento acusou o Banco Central e o governo da capital Trípoli de "saquear" o país e negligenciar o leste da Líbia, que vive onda de protestos provocada pelos apagões de eletricidade. Manifestantes atearam fogo em pneus e bloquearam várias rodovias do país.

    Trípoli teve protestos parecidos recentemente

    A Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL) informou que pelo menos um civil morreu e três ficaram feridos. O órgão pediu uma investigação completa e imediata sobre a prisão e o uso excessivo de força contra os manifestantes. 

    Recentemente, protestos semelhantes ocorreram em Trípoli, tendo como alvos a corrupção e cortes de energia. 

    A Líbia está dividida entre as duas administrações rivais desde 2011, quando seu antigo líder Muammar Kadhafi foi morto. O Exército Nacional da Líbia (LNA), comandando pelo general Khalifa Haftar, controla o leste do país, enquanto o Governo do Acordo Nacional (GNA), apoiado pela Turquia e reconhecido pela ONU, controla o oeste líbio.  

    Na sexta-feira (11), o Parlamento sediado em Tobruk reafirmou o compromisso do órgão ao cessar-fogo proposto pela Iniciativa do Cairo, acordo costurado em 6 de junho pelo presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, e o marechal Haftar, que inclui uma trégua no território líbio e os termos para negociações políticas. 

    Mais:

    Cerca de 160 mercenários são presos no Sudão a caminho da Líbia
    GNA e LNA anunciam cessar-fogo na Líbia
    Embaixada dos EUA na Líbia afirma estar 'encorajada' pela retomada das exportações de petróleo
    Tags:
    Muammar Khaddafi, Crise, ONU, GNA, LNA, Khalifa Haftar, Parlamento, governo, Líbia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar