17:22 03 Junho 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    181025
    Nos siga no

    O Ministério da Defesa da Turquia declarou que as tensões em Idlib, na Síria, são culpa de Damasco, e não de Moscou.

    Ancara não tem problemas com Moscou a respeito da situação em Idlib, na Síria, onde o alvo são as tropas de Damasco, declarou nesta quinta-feira o ministro da Defesa da Turquia, Hulusi Akar.

    Os militantes de pró-turcos, com apoio da artilharia das Forças Armadas turcas, romperam nesta quinta-feira as linhas de defesa do exército sírio nas proximidades de Idlib, segundo informações do Ministério da Defesa da Rússia.

    Os caças russos Su-24 atacaram os terroristas logo em seguida, possibilitando que as tropas de Damasco retomassem o território perdido. Mais tarde, as autoridades russas pediram em comunicado que a Turquia suspenda apoio aos terroristas. O Ministério da Defesa da Turquia confirmou que dois militares turcos morreram e cinco ficaram feridos após o ataque aéreo em Idlib.

    "Vamos continuar o diálogo com a Rússia sobre Idlib. Quanto ao patrulhamento conjunto, esta medida será implementada, assim como foi planejado. As condições podem variar: condições climáticas ruins podem ocorrer, ou outras situações. Em linhas gerais, no entanto, o acordo de Sochi é a base. Aquilo que foi determinado deverá ser cumprido. Não temos problemas com a Rússia, o nosso alvo é o regime [de Assad]", declarou Akar para a emissora CNN Turk.

    O ministro turco elogiou a qualidade do diálogo com as autoridades russas.

    "Mantemos um bom diálogo com a parte russa no local. Também dialogamos com o ministro da Defesa da Rússia, com o comandante do Estado-Maior, com o adido militar, com os militares no local. Estamos em diálogo constante. Adotamos todas as medidas para evitar acidentes. Trabalhamos de forma muito aberta e transparente. De modo algum admitiremos qualquer confronto com a Rússia. O nosso objetivo é cessar os ataques por parte do regime", acrescentou o ministro da Defesa da Turquia.

    Mais cedo, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, declarou que a Turquia segue insatisfeita com os resultados das negociações com a Rússia sobre Idlib e que está se preparando para uma operação militar na região. O porta-voz do presidente da Rússia, Dmitry Peskov, lamentou essa declaração, que classificou de "pior cenário possível".

    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar