21:08 24 Outubro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    2192
    Nos siga no

    Foi comunicado oficialmente nesta quinta-feira (30) na cidade do Cairo a descoberta de mais um importante local de sepultamento que remonta à época do Antigo Egito.

    O achado ocorreu na província de Minya, sobranceira ao rio Nilo e a cerca de 320 km da capital egípcia, Cairo.

    No conhecido sítio arqueológico de Al-Ghoreifa, foram descobertas 16 tumbas a oito metros de profundidade, contendo no total 20 sarcófagos – todos com corpos mumificados de sacerdotes.

    Os arqueólogos creem se tratar de sacerdotes que se dedicavam ao culto do deus Thoth, também conhecido por Djeuti.

    As tumbas datariam da 26ª dinastia (672-525 a.C.), contendo uma delas 6 sarcófagos, dois dos quais ainda selados e em muito bom estado, segundo informou ao The Times um dos arqueólogos, Mohamed Wahballah.

    A maioria das tumbas foi esculpida em calcário, tendo 5 delas forma humana. Foram também encontradas cinco de madeira, surpreendentemente em bom estado.

    Sarcófago de madeira encontrado no Egito em janeiro de 2020
    Sarcófago de madeira encontrado no Egito em janeiro de 2020

    Um dos sarcófagos pertencia a um homem chamado Hr, sumo sacerdote, que na estrutura hierárquica do clero egípcio representava o topo do culto a determinado deus. O faraó, por sua vez, era o líder de todos os cultos.

    Contudo, a descoberta tida como mais importante pelos arqueólogos foi a do sarcófago do sacerdote Djed, por nele estarem inscritos os apelidos de governantes da região central do Egito.

    Foram também encontradas 10.000 estatuetas de cariz funerário, 700 amuletos e jarros pintados onde se guardavam as entranhas dos falecidos.

    Os arqueólogos são unânimes em considerar estarmos perante uma das maiores descobertas arqueológicas dos últimos tempos.

    Arqueólogo egípcio numa das câmaras funerárias descobertas em 30 de janeiro de 2020
    © AFP 2020 / Mohamed el-Shahed
    Arqueólogo egípcio numa das câmaras funerárias descobertas em 30 de janeiro de 2020

    O turismo, tradicionalmente, detém crucial importância na economia egípcia quer pelo seu peso no PIB quer pelos empregos que assegura e pelas divisas estrangeiras que gera.

    O governo vem empenhando todos os esforços para detectar e promover novas descobertas arqueológicas que possam revitalizar o setor, atraindo mais visitantes estrangeiros.

    Mais:

    Como 'bombardeio cósmico' poderia resolver mistério da Grande Pirâmide de Gizé?
    Múmia egípcia de 3.000 anos 'recupera' voz através de cordas vocais impressas em 3D (VÍDEO)
    Após 2.600 anos, mistério da morte de garota egípcia é desvendado (FOTOS)
    Tags:
    faraó, egito, sarcófago, tumbas, tumba, arqueologia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar