00:50 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    29349
    Nos siga no

    O Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica do Irã afirmou neste domingo (12) que não pretendia matar tropas dos EUA quando disparou mísseis contra bases estadunidenses no Iraque.

    "Nosso objetivo não era realmente matar soldados inimigos. Isso não era importante", disse o comandante da Guarda Revolucionária, Hossein Salami, ao Parlamento, referindo-se à operação de mísseis lançada para vingar a morte do importante general iraniano Qassem Soleimani.

    "A destruição física [causada pelos mísseis] foi apenas porque queríamos dizer que somos muito mais superiores ao inimigo [e] que podemos atingir qualquer ponto que escolhermos", acrescentou, em discurso transmitido na televisão estatal.

    O Irã lançou uma onda de mísseis contra bases do Iraque que hospedam tropas dos Estados Unidos. Washington afirma que o ataque não deixou nenhum ferido.

    Horas após o lançamento dos mísseis na quarta-feira, o Irã abateu um avião de passageiros ucraniano logo após decolar de Teerã, matando todas as 176 pessoas a bordo no que mais tarde admitiu ter sido um erro catastrófico, informa a agência de notícias AFP.

    O Irã convidou especialistas do Canadá, França, Ucrânia e Estados Unidos para participar da investigação do desastre aéreo.

    Mais:

    Rouhani prometeu à Ucrânia levar à justiça os responsáveis ​​pela derrubada do avião no Irã
    Canadá diz ter dúvidas sobre derrubada acidental de avião no Irã
    Irã prende embaixador britânico por 'incitar' protestos em Teerã
    Militares dos EUA estavam em bunkers quando Irã atacou base aérea no Iraque, informa mídia
    Professor é demitido após ironizar que Irã deveria listar 52 potenciais alvos nos EUA
    Tags:
    Iraque, Estados Unidos, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar