17:58 28 Novembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    151012
    Nos siga no

    De acordo com fontes anônimas citadas pela NBC News, Israel ajudou os EUA a organizarem a operação que provocou a morte do general iraniano Qasem Soleimani.

    Segundo fontes não nomeadas citadas pela NBC, Israel ajudou os Estados Unidos a realizarem a operação de assassinato do chefe da Força Quds do Irã, Qasem Soleimani.

    As fontes afirmam que Israel participou da operação do dia 3 de janeiro através da entrega aos norte-americanos de dados fulcrais de inteligência.

    Os detalhes ajudaram a confirmar e verificar a informação recebida de informantes do aeroporto sírio, segundo a qual Soleimani voaria nessa noite de Damasco para Bagdá, informação que foi entregue para a CIA.

    O New York Times, por sua vez, informou que o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu falou com o secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo antes da morte de Soleimani, e que Israel provavelmente se tornou o único aliado de Washington que estava a par do assunto.

    Em outubro passado, a agência de notícias iraniana Tasnim, citando o chefe de inteligência da Guarda Revolucionária, Hossein Taeb, afirmou que Israel e o Ocidente tinham colaborado para assassinar Soleimani, a fim de provocar uma "guerra religiosa dentro do Irã".

    Assassinato de Soleimani

    Em dia 3 de janeiro, o general iraniano Qasem Soleimani foi morto durante um ataque de drones ao Aeroporto Internacional de Bagdá realizado pelos EUA.

    Em 7 de janeiro, em retaliação, o Irã alvejou as instalações das forças dos EUA nas bases aéreas de Ain Al-Asad e Arbil, localizadas no Iraque.

    Mais:

    Trump diz que Soleimani planejava atacar 4 embaixadas dos EUA
    Terroristas do Daesh celebram em editorial a morte do general iraniano Soleimani
    EUA buscaram assassinar outro militar do Irã no mesmo dia da morte de Soleimani, diz jornal
    Tags:
    Irã, EUA, Israel, inteligência militar, inteligência, Qassem Soleimani
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar