02:14 28 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    501273
    Nos siga no

    O Iraque pode perder acesso às suas contas em dólares se insistir na retirada das tropas dos EUA de seu território. Após aprovação da lei que permite a Bagdá solicitar a retirada de forças estrangeiras, Donald Trump ameaçou responder com sanções.

    A parlamentar iraquiana Majida al-Tamimi, membro do Comitê de Finanças do parlamento, disse que, caso o Iraque insista na retirada das tropas, pode perder o acesso aos seus recursos depositados em contas no banco central dos EUA.

    Além disso, a parlamentar aponta que os EUA poderão exercer pressão sobre certas empresas para que interrompam suas atividades na indústria petrolífera do Iraque. O país árabe é o segundo maior produtor mundial da OPEP.

    Trabalhador iraquiano no campo de petróleo Nihran Bin Omar, ao sul de Bagdá (foto de arquivo)
    © AP Photo / Nabil al-Jurani
    Trabalhador iraquiano no campo de petróleo Nihran Bin Omar, ao sul de Bagdá (foto de arquivo)

    O Departamento de Estado já teria alertado o governo iraquiano sobre a possibilidade de bloquear seu acesso aos recursos depositados em contas nos EUA, conforme reportou a Bloomberg.

    No dia 5 de janeiro, o parlamento iraquiano aprovou uma lei que autoriza o governo a pedir a retirada de forças estrangeiras do país. A medida, interpretada por muitos como dirigida aos EUA, levou Donald Trump a ameaçar Bagdá com sanções:

    "Se eles nos pedirem para sair, e se isso não for feito de uma maneira muito amigável, iremos impor as sanções mais duras que eles já viram, que farão as sanções contra o Irã parecerem brandas", ameaçou o presidente dos EUA.

    Desde então, os EUA não responderam aos pedidos de Bagdá para negociar um eventual processo de retirada das tropas.

    O efeito imediato do bloqueio das contas do Iraque em dólares seria uma forte desvalorização da moeda iraquiana, o dinar.

    Eventualmente, o governo do Iraque teria que converter as suas transações comerciais para euros, o que demandaria longas negociações com bancos europeus, informou Tamimi.

    O Iraque foi alvo de um duro embargo financeiro e comercial entre 1990 e 2003, quando os EUA depuseram Saddam Hussein.

    Iraquiano troca dinares iraquianos por dólares, logo depois da retirada de embargo de mais de 10 anos imposto ao país pelo Conselho de Segurança da ONU (foto de arquivo)
    © AP Photo / Jassim Mohammed
    Iraquiano troca dinares iraquianos por dólares, logo depois da retirada de embargo de mais de 10 anos imposto ao país pelo Conselho de Segurança da ONU (foto de arquivo)

    As sanções, impostas pelo Conselho de Segurança da ONU, geraram uma das mais sérias crises humanitárias da década de noventa, e incluíram a criação de programas emergenciais como o "petróleo por alimentos".

    Mais:

    FOTOS de satélite exibem danos na base dos EUA no Iraque após ataques de mísseis iranianos
    Resposta iraquiana aos EUA não será inferior à retaliação iraniana, diz líder miliciano do Iraque
    Militares australianos permanecerão no Iraque apesar dos ataques do Irã
    Tags:
    presença militar, petróleo, sanções econômicas, EUA no Iraque, Iraque
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar