21:48 03 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Oriente Médio e África
    URL curta
    240
    Nos siga no

    O presidente iraniano Hassan Rouhani exortou o Japão a ajudar a salvar o marco do acordo nuclear de 2015, que foi extinto pela "retirada irracional" dos EUA no ano passado.

    O Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA) de 2015 sobre o programa nuclear iraniano é "um acordo extremamente importante" para Teerã, disse Rouhani durante uma reunião com o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe em Tóquio nesta sexta-feira.

    "É por isso que condenamos veementemente a retirada unilateral e irracional dos Estados Unidos [do acordo] ", declarou Rouhani a repórteres. "Espero que o Japão e outros países do mundo trabalhem duro para ajudar a manter o acordo nuclear em vigor".

    Abe, por sua vez, instou o Irã a desempenhar um papel "construtivo" no Oriente Médio e a cumprir plenamente o acordo nuclear.

    O JCPOA impôs restrições abrangentes ao programa nuclear iraniano em troca da suspensão das sanções internacionais contra o Irã e permitiu que as instalações nucleares do país fossem inspecionadas pelo órgão de vigilância patrocinado pela ONU, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

    Em junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã.
    © AP Photo / Brendan Smialowski
    Em junho de 2015, um conjunto de países aprovou, na cidade suíça de Lausanne, o Plano de Ação Integral Conjunto (JCPOA, na sigla em inglês), que regula o programa nuclear do Irã.

    O acordo fracassou depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, abandonou o acordo no ano passado e restabeleceu vários lotes de sanções contra Teerã.

    Trump citou supostas violações do acordo pelo Irã como o motivo da retirada. O Irã negou essa acusação, enquanto vários relatórios da AIEA confirmaram que a República Islâmica estava cumprindo o acordo. Os EUA que deixaram o JCPOA também foram fortemente criticados pela União Europeia (UE), China e Rússia, todos signatários do acordo.

    Um ano depois, o Irã começou a aumentar seu estoque de urânio enriquecido e elevou o nível de enriquecimento além dos limites estabelecidos pelo JCPOA. Autoridades em Teerã disseram que isso pode ser revertido rapidamente se a UE convencer os EUA a voltar ao acordo nuclear ou encontrar maneiras de aliviar o ônus das sanções do Irã.

    Mais:

    Poderiam caças russos Su-57 contribuir para defesa do Irã?
    Marinha dos EUA libera VÍDEO de exercícios navais no golfo Pérsico em meio a tensões com Irã
    Irã e Israel estariam se preparando para guerra?
    Tags:
    Donald Trump, Estados Unidos, diplomacia, Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), armas nucleares, Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), acordo nuclear, Shinzo Abe, Hassan Rouhani, Japão, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar