01:40 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Terroristas do Daesh no nordeste da Síria (foto de arquivo)

    Daesh promete 'vingança' contra os EUA e chama Trump de 'velho louco'

    © AP Photo / Site militar
    Oriente Médio e África
    URL curta
    439
    Nos siga no

    Em áudio divulgado pelo Daesh (organização terrorista proibida na Rússia e outros países) confirmando a morte de seu líder, o grupo promete "vingança" e chama o presidente americano, Donald Trump, de "velho louco". 

    "Não se regozije, América", diz a mensagem, segundo publicado pela agência AFP. "O novo escolhido fará vocês esquecerem o horror que observaram [...] Fazendo as conquistas de Baghdadi terem um gosto doce", acrescenta.

    Por meio de sua agência de notícias, o Daesh informou que Abu Ibrahim al-Hashimi al-Quraishi substituiria o iraquiano Abu Bakr al-Baghdadi, morto em uma operação das forças americanas em Idlib, na Síria, como chefe da organização. Pouco se sabe sobre o sucessor, que tinha sido apontado como provável novo líder nas vezes em que Baghdadi tinha sido falsamente declarado morto.

    O grupo também confirmou que seu porta-voz, Abu Hassan al-Muhajir, foi morto em outro ataque dos EUA. 

    No domingo (27), Trump anunciou em pronunciamento feito na Casa Branca a morte do extremista. O presidente americano disse que Baghdadi tinha "morrido como um cachorro". 

    No áudio de sete minutos, Abu Hamza al-Quraishi é identificado como novo porta-voz do grupo. Segundo a mensagem, a unidade legislativa e consultiva da organização se reuniu 48 horas após a morte de seu líder. 

    Lealdade ao novo 'califa'

    "O Conselho Shura se reuniu imediatamente após confirmar o martírio do xeque Abu Bakr al-Baghdadi, e os líderes dos mujahidin [combatentes] concordaram após consulta com seus irmãos" com a substituição, disse o novo porta-voz. Ele conclamou os militantes da organização terrorista a declarar lealdade ao novo "califa". O novo chefe do grupo é descrito como um "emir da guerra" que lutou contra as forças americanas e conhece suas artimanhas.

    "América, você não sabe que o estado [Daesh] está na porta de entrada da Europa e na África central? E também está expandindo e permanecendo do leste ao oeste", diz o locutor do áudio. 

    Abu Bakr al-Baghdadi era líder do Daesh desde 2014, quando anunciou o estabelecimento de um "califado islâmico" em grandes partes do Iraque e da Síria. O grupo, no entanto, perdeu força nos últimos anos e viu o território sob seu domínio ser reduzido bastante. 

    O Exército dos EUA divulgou um vídeo da ação americana contra uma edificação na qual Baghdadi se encontrava. Em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (30), o chefe do Comando Central dos EUA, general Kenneth Mackenzie, falou sobre o ataque. 

    De acordo com o general americano, militantes abriram fogo "sobre as forças americanas que realizam o ataque aéreo". Mackenzie também disse que o líder terrorista, após ser encurralado, detonou um colete suicida junto com dois filhos, e não três, como relatado anteriormente por Trump. 

    Mais:

    EUA manterão tropas na Síria para 'proteger' campos petrolíferos do acesso do Daesh
    Por que al-Baghdadi teria fugido para território inimigo? Analista comenta captura de terrorista
    EUA confirmam que restos mortais de líder do Daesh foram depositados no mar
    Tesouro do Daesh é descoberto em deserto por pastores iraquianos
    Tags:
    Iraque, Donald Trump, terrorismo, Idlib, Síria, Estado Islâmico, EUA, Daesh
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar