05:45 18 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Aiatolá Ali Khamenei

    EUA e aliados estão por trás dos tumultos no Iraque e no Líbano, diz Khamenei

    © AP Photo / Office of the Iranian Supreme Leader
    Oriente Médio e África
    URL curta
    370
    Nos siga no

    O líder supremo do Irã, Ali Khamenei, disse que os EUA e seus aliados do Oriente Médio são os culpados pela instabilidade no Iraque e no Líbano. A declaração ocorreu depois que o primeiro-ministro libanês Saad Hariri renunciou em resposta a protestos.

    Khamenei declarou que os protestos em massa nos dois países, ambos com boas relações com Teerã, foram influenciados pelos EUA, Israel e "alguns países ocidentais". Ele afirmou que a agitação foi financiada por "países reacionários" na região, um termo usado pelas autoridades iranianas para descrever a Arábia Saudita e seus aliados árabes.

    O líder iraniano pediu aos manifestantes que exigissem ação de seus respectivos governos apenas por meios legais, dizendo que a alternativa resultaria em caos.

    "As pessoas têm demandas justificáveis, mas devem saber que suas demandas só podem ser atendidas dentro da estrutura e estrutura jurídica de seu país. Quando a estrutura legal é interrompida em um país, nenhuma ação pode ser executada", escreveu Khamenei no Twitter.

    Falando a um grupo de cadetes do Exército iraniano durante sua cerimônia de formatura nesta quarta-feira, Khamenei afirmou que os inimigos de um país podem causar o maior dano possível ao interromper sua segurança.

    Nos últimos tempos, o Iraque e o Líbano testemunharam ondas de indignação pública, com a raiva das pessoas focada em várias questões domésticas. Na terça-feira, Saad Hariri deixou o cargo de primeiro-ministro do Líbano, submetendo-se às demandas dos manifestantes, que acusaram seu governo de corrupção e de levar o Líbano a um colapso econômico.

    O governo iraquiano declarou um toque de recolher na capital Bagdá a partir de segunda-feira, respondendo a uma onda de protestos violentos nos dias anteriores. Segundo informações, cerca de 60 pessoas foram mortas em meio à mais recente onda de descontentamento com o governo do primeiro-ministro Adel Abdul Mahdi.

    Mais:

    Presidente do Irã: EUA praticam 'terrorismo econômico'
    Irã está desenvolvendo mísseis capazes de atingir alvos em todo Oriente Médio, diz premiê de Israel
    Rússia, Turquia e Irã dizem que Comitê da Síria deve trabalhar sem interferência estrangeira
    Tags:
    Arábia Saudita, Adel Abdul Madhi, protestos, diplomacia, Aiatolá Ali Khamenei, Saad Hariri, Estados Unidos, Líbano, Iraque, Irã
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar