05:39 26 Agosto 2019
Ouvir Rádio
    Chanceler do Irã Mohammad Javad Zarif

    Chanceler do Irã acusa os EUA de 'terrorismo econômico' que ameaça sua população

    © AP Photo / Vahid Salemi
    Oriente Médio e África
    URL curta
    531

    O ministro de Relações Exteriores do Irã renovou nesta quarta-feira as acusações de que os EUA estavam travando "terrorismo econômico" em uma visita às Nações Unidas, durante a qual Washington reduziu drasticamente seus movimentos.

    Depois de meses de tensões crescentes, o chanceler iraniano Mohammad Javad Zarif foi a Nova York para uma sessão da ONU sobre desenvolvimento sustentável, na qual denunciou sanções unilaterais impostas pelo presidente estadunidense Donald Trump.

    Os iranianos estão "sujeitos à forma mais brutal de 'terrorismo econômico' - alvejando deliberadamente civis inocentes para alcançar objetivos políticos ilegítimos", declarou Zarif diretamente do púlpito.

    As sanções "ilegais e extraterritoriais representam a maior ameaça à realização dos objetivos de desenvolvimento sustentável do Irã e de muitos de nossos vizinhos", prosseguiu.

    Trump retirou-se no ano passado de um acordo multinacional negociado por seu antecessor, Barack Obama, sob o qual o Irã reduziu drasticamente seu programa nuclear.

    Forte aliado dos rivais iranianos Arábia Saudita e Israel, Trump impôs sanções, incluindo a proibição de todas as exportações iranianas de petróleo, numa tentativa de reduzir a influência regional do regime clerical.

    Os Estados Unidos, como o país anfitrião das Nações Unidas, restringiram fortemente Zarif, confinando-o aos quarteirões ao redor das Nações Unidas, à missão iraniana e à residência do enviado iraniano.

    Sede da ONU em Nova York
    © AP Photo / Osamu Honda, File
    Sede da ONU em Nova York

    Zarif, falando aos repórteres, disse que a medida "certamente não é uma ação amigável" e causou dificuldades para as famílias dos missionários.

    "Mas para mim é bom porque eu não tenho nenhum trabalho em lugar algum além dos três prédios", afirmou o chanceler iraniano.

    Troca de farpas

    Um acadêmico educado nos Estados Unidos que fala inglês fluentemente frequentemente polvilhado com expressões idiomáticas e humor, Zarif é amplamente visto como um rosto moderado do governo iraniano e trabalhou no passado com Washington em questões do Afeganistão para o acordo nuclear.

    Mas o secretário de Estado, Mike Pompeo, comentou nesta quarta-feira que acredita que o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, está "tomando todas as decisões, 100% delas" em questões estratégicas importantes.

    "Zarif aparece e fala sobre como ele é o bom rapaz. Ele foi o ministro de Relações Exteriores, enquanto a República Islâmica do Irã tomou todas as ações que vimos e ele é igualmente responsável por essas atividades", disse Pompeo ao radialista conservador Hugh Hewitt.

    As Nações Unidas manifestaram preocupação com as restrições impostas a Zarif pelos Estados Unidos, que sob um acordo é necessário para facilitar a participação dos diplomatas nos negócios da ONU.

    Mais:

    França propõe que EUA suspendam sanções contra o Irã, diz emissora
    Líder supremo do Irã diz que prisão do navio iraniano em Gibraltar não vai ficar 'sem respostas'
    Irã nega que seu programa de mísseis seja negociável
    Tags:
    Plano Conjunto de Ação Integral (JCPOA), economia, terrorismo, sanções, acordo nuclear, Aiatolá Ali Khamenei, relações bilaterais, diplomacia, Mike Pompeo, Donald Trump, Mohammad Javad Zarif, Irã, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar