07:54 14 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    Parada do Hezbollah durante uma cerimônia de homenagem a militantes mortos, no Líbano, em 18 de fevereiro de 2017.

    Hezbollah: Novas sanções ampliam ataque dos EUA ao Líbano

    © AP Photo / Mohammed Zaatari
    Oriente Médio e África
    URL curta
    0 40
    Nos siga no

    O Hezbollah, do Líbano, disse nesta quinta-feira que novas sanções dos EUA contra três de seus funcionários, incluindo dois parlamentares, ampliaram o ataque de Washington ao Líbano.

    A medida marca a primeira vez que os Estados Unidos têm como alvo legisladores do movimento xiita Hezbollah, fortemente armado e apoiado pelo Irã, que faz parte do governo de coalizão do Líbano.

    "Aumentou o ataque ao Líbano e ao seu povo. Ele é rejeitado e denunciado", declarou o bloco parlamentar do Hezbollah nos comentários da TV. "Isso não mudará nada em nossas convicções".

    As sanções ampliam uma campanha dos EUA que designa 50 pessoas e entidades ligadas ao Hezbollah desde 2017. Washington classifica o Hezbollah como um grupo terrorista.

    Os três novos funcionários são os deputados Amin Sherri e Muhammad Raad, bem como Wafiq Safa, cujo papel inclui a coordenação com as agências de segurança do Líbano.

    O primeiro-ministro do país, Saad al-Hariri, disse na quarta-feira que as sanções avançaram em "uma nova direção" do que as medidas existentes, mas não afetarão o trabalho do governo.

    As sanções dos EUA pesaram sobre os bônus soberanos libaneses na quarta-feira.

    Mais:

    Presidente libanês propõe a criação de banco para reconstrução de países árabes em guerra
    Hezbollah promete 'derrotar' forças israelenses se estas atacarem Líbano
    Israel realiza manobras de grande escala simulando guerra no Líbano (Vídeo)
    Tags:
    diplomacia, sanções, xiitas, terrorismo, Irã, Líbano, Estados Unidos
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar