23:53 30 Setembro 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    760
    Nos siga no

    O Brasil, apesar de ser uma das dez maiores economias do mundo, ocupa apenas a 62ª posição no Índice Global de Inovação (IGI). Para superar este quadro, o país precisa de uma ação estatal de longo prazo, avalia especialista ouvida pela Sputnik Brasil. 

    O IGI é realizado pela Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO, na sigla em inglês) e leva em conta indicadores como investimento em ciência e tecnologia, integração entre iniciativa privada e poder público, registro de patentes, entre outros itens. 

    A pandemia de COVID-19, diz o estudo, pode servir como "catalizadora" para a inovação em setores tradicionais e fomentar mudanças na maneira como o trabalho é organizado. 

    De acordo com o levantamento, os dez países que lideram o ranking de inovação são: Suíça, Suécia, Estados Unidos, Reino Unido, Holanda, Dinamarca, Finlândia, Singapura, Alemanha e Coreia do Sul. O relatório também destaca o Chile como um líder regional de inovação na América Latina e Caribe. 

    Logotipo da ZTE, uma escolha popular entre os investidores de varejo da Coreia do Sul, e um sinal de 5G na Exposição Mundial 5G em Pequim, China, 22 de novembro de 2019
    © REUTERS / Jason Lee
    Logotipo de 5G da ZTE

    Quanto ao Brasil, o país subiu quatro posições no ranking na comparação com 2019, mas ainda está atrás de 2011, quando ficou na 47ª colocação. O Brasil está na quarta posição no ranking da América Latina e Caribe, atrás de Chile (54º), México (55º) e Costa Rica (56º).

    "Considerando que o Brasil é a nona economia do mundo, o fato do Brasil estar em 62º lugar em um ranking de 131 países mostra uma posição que não é compatível com a relevância da economia brasileira e com o potencial econômico e social do Brasil", afirma em entrevista à Sputnik Brasil a diretora de inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Gianna Sagázio.

    A representante da CNI, que faz parte da elaboração da pesquisa, reitera o argumento de que é necessário investir em tecnologia e inovação: "O papel da inovação se mostra cada vez mais imprescindível diante de um período de incertezas e de retração na economia provocados pela pandemia. Se de um lado as empresas estão com possibilidades escassas de investimentos, de outro precisam buscar alternativas para sobreviverem e manterem seus empregados."

    Sagázio também defende a atuação do Estado para fomentar a inovação.

    "Os países mais inovadores têm nos ensinado a importância de termos políticas públicas de inovação de longo prazo, robustas, que não sejam somente uma carta de boas intenções, mas que tragam indicadores, metas, governança junto com o setor privado", diz a analista.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Maduro agradece ao Irã por ajudar indústria petrolífera da Venezuela a superar sanções dos EUA
    CNI: Pandemia afeta negativamente 57% das indústrias exportadoras
    Produção da indústria no Brasil sobe puxada por altas em estados afetados pela COVID-19
    EXÉRCITO 2020: APEX Brasil quer novos mercados para indústria de armamentos brasileira
    Pandemia pode gerar oportunidade para acelerar automação da indústria no Brasil, diz economista
    EUA alertam indústrias globais contra compras da Coreia do Norte para mísseis balísticos
    Tags:
    COVID-19, tecnologia, países, ranking, Brasil, indústria, CNI
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar