03:52 04 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Análise
    URL curta
    191151
    Nos siga no

    De acordo com o acadêmico Vladimir Olenchenko, a Alemanha ressente sua "posição subordinada" ante os EUA, e que já se viram sinais desse afastamento durante a presidência de Barack Obama.

    A Alemanha foi forçada a reorientar sua política externa em relação à Rússia após uma série de contradições com os EUA, afirmou Vladimir Olenchenko, pesquisador sênior do Instituto Nacional de Pesquisa de Economia Mundial e Relações Internacionais E. M. Primakov da Academia de Ciências da Rússia, em uma conversa com o canal RT.

    Segundo Olenchenko, Washington não tolerará uma situação em que uma Alemanha independente seja a líder da Europa Ocidental.

    "Surgiu todo um emaranhado de contradições entre os EUA e a Alemanha, desde rivalidade econômica em várias indústrias a questões como a presença de soldados americanos em solo alemão, ou a competição pelo domínio no subcontinente europeu."

    "E, é claro, Washington gostaria que Berlim tivesse uma posição subordinada. Nesta situação, a Alemanha é obrigada a reorientar seu rumo de política externa, apostando na Rússia como parceira estratégica", sublinhou o especialista.

    Olenchenko acrescentou que, no mês passado, a tendência de deterioração das relações entre Berlim e Washington se tornou ainda mais evidente, e as autoridades alemãs são mais propensas a declarar a necessidade de seguir uma política independente, sem olhar para trás para os EUA.

    Ao mesmo tempo, relembra Olenchenko, foram observados sinais de deterioração das relações americano-alemãs também durante a presidência de Barack Obama, e que, com Donald Trump no poder, a situação só "piorou".

    Anteriormente, o embaixador alemão em Moscou, Gesa Andreas von Geir, afirmou que durante a presidência alemã do Conselho da União Europeia, Berlim buscará uma cooperação mais estreita com a Rússia.

    As opiniões expressas nesta matéria podem não necessariamente coincidir com as da redação da Sputnik

    Mais:

    Sanções dos EUA são 'ataque à soberania da UE', afirma ex-chanceler alemão
    Pentágono autoriza retirada de 9.500 soldados dos EUA da Alemanha
    EUA enviarão parte de tropas retiradas da Alemanha para Polônia, diz Trump
    Trump pirraçando sem Alemanha se importar
    Tags:
    União Europeia, RT, Academia de Ciências da Rússia, Barack Obama, Donald Trump, Rússia, Alemanha, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar